Wilson Lima cobra recursos para estiagem e combate às queimadas

Governador conversou com ministérios e BNDES, em Brasília

Dragagem dos rios e liberação de recursos foram os temas tratados

O governador do Amazonas, Wilson Lima, cobrou novamente do Governo Federal ações de combate às queimadas e para o enfrentamento da estiagem 2024 no Amazonas, cuja previsão é de que seja tão ou mais intensa quanto a de 2023. O apelo foi feito, nesta segunda-feira (17), durante agenda em Brasília (DF).

“Hoje tive uma conversa com o presidente do BNDES, o Aloísio Mercadante, para agilizar um processo de liberação de um recurso na ordem de R$ 45 milhões para ampliar as brigadas ou para montar brigadas nos 21 municípios que representam 95% do desmatamento e da queimada. Naturalmente uma agilidade nesses processos”, pontuou o governador.

Segurança

O apelo do governador sobre ações para o enfrentamento da estiagem ocorreu durante assinatura do contrato entre Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e Banco Nacional de Desenvolvimento Sustentável (BNDES) para destinação de recursos do Fundo Amazônia para operações de fortalecimento do “Plano Amazônia: Segurança e Soberania – AMAS”. A cerimônia contou com a presença do Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva.

Alerta para a estiagem

No último domingo (16), o governador também cobrou o Governo Federal durante ligação aos ministros Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional), Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima) e Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos).

“Tudo que tem acontecido com relação à descida dos rios tem nos preocupado. Lá em Tabatinga a gente já enfrenta uma situação de anormalidade indicando que nós teremos uma situação mais severa que a do ano passado. Conversei com o Ministro Silvio Costa, cobrando a questão da dragagem. Há uma possibilidade de começar nos próximos 15 dias’, acrescentou Wilson Lima.

Licença ambiental

Na primeira quinzena de maio, o governador anunciou a emissão de licenças ambientais para a dragagem em quatro trechos de rios do Amazonas. Agora, o Departamento Nacional de Transportes (Dnit) deve lançar uma licitação para liberação da dragagem.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *