fbpx
23 de setembro de 2021
Ingrid-Mendonca-1

Coluna:

Por: Ingrid Mendonça

Ativista da Inclusão! Presidente Licenciada da Associação dos Deficientes Visuais do Amazonas, Pré-Candidata a Vereadora de Manaus

Vai Ter Mulher Sim

Ingrid-Mendonca-1

Ser mulher é desafiador em nossa sociedade, ainda mais quando pensamos em mulher com deficiência como é meu caso. Não é preciso chegar aos extremos para entender a necessidade que temos de politicas publicas especificas, de proteção e garantia de sobrevivência. Se você é mulher e está lendo esse texto vai saber de imediato do que estou falando. Alguns homens também têm sensibilidade para olhar essa como uma causa legitima pelo direito de existir e ser quem somos. Aos leitores de formo geral gostaria de falar na perspectiva da empatia, capacidade de colocar-se no lugar do outro.

Imagine escolher suas roupas e pensar que dependendo do seu gosto outra pessoa pode achar-se no direito de julgar e definir quem você é e a forma como pode te tratar. Imagina o medo de sair de uma relação e não permanecer viva. imagina para uma mulher o sentimento de alivio e paz ao tomar um uber com motorista do sexo feminino. Imagine uma mulher sendo tocada de forma abusiva no transporte coletivo por um desconhecido. Pense em uma mulher com deficiência sendo violada fisicamente por alguém que lhe ofereceu ajuda para atravessar a rua. Imagina você falando para alguém em posição hierarquicamente superior e ele apertar seu braço discretamente para que você se cale. Imagina ter a oportunidade de discursar em um espaço coletivo e ser interrompida ou ter a voz abafada por um colega. Imagina a frase mais clichê de que a conversa não chegou na cozinha…

Essas são algumas das situações mais comuns do dia a dia de uma mulher pelo simples fato de ser quem é. Quantas de nossas capacidades e potencialidades deixam de ser estimuladas e são até mesmo reprimidas. Então nossa luta não é por vingança, loucura ou mimimi. É tão somente por igualdade, de acesso, de oportunidades, de existência de forma plena. Ao encontrarmos outras vozes dispostas a formar coro, mãos estendidas na mesma direção, sororidade, nos erguemos com força e esperança para que outras de nós possam viver!

Em uma dessas investidas nasceu o movimento Vai Ter Mulher Sim, em 2017. Um movimento suprapartidário que reúne mulheres de todo Brasil na luta pelo protagonismo feminino na politica. Com diversidade ideológica, partidária, de frentes e interesses, estamos juntas pela representatividade e incentivo a outras mulheres para que ocupemos espaço nos lugares de fala, para que estejamos presentes na construção de boas politicas e que sejamos agentes de transformação nos contextos onde estivermos inseridas, de forma legitima e livre das amarras de uma sociedade que por muito tempo nos ignorou e cujos costumes arraigados em machismo e preconceitos ainda permeiam nossa existência e minam nossos direitos.

Acredito que representatividade é fundamental na construção de uma sociedade justa e inclusiva. E me proponho por meio do ingresso e atuação na política, a conectar e dar voz a outras de nós. por isso é fundamental para mim integrar e representar esse movimento em Manaus e no Amazonas.

Ingrid Mendonça – Manauara, Pessoas com Deficiência visual, Psicóloga, Ativista da Inclusão, formada pelo Renova BR, Pré-candidata a Vereadora em Manaus.

Qual sua Opinião?

Confira Também