Vacinação contra o HPV pode modificar a estatística do câncer nos próximos anos

Medico diz que data é alerta para responsáves por meninos e meninas

No Amazonas, o câncer de colo de útero está no topo da lista das neoplasias malignas e quase 100% dos casos são causados pelo HPV

Com potencial para reduzir drasticamente a estatística do câncer no Brasil e, em especial, no Amazonas, nos próximos anos, a vacina contra o HPV ganha os holofotes no Dia Mundial da Imunização, comemorado neste domingo(9).
O Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), seccional AM, o cirurgião uro-oncologista Giuseppe Figliuolo destaca que a data serve de alerta para pais e responsáveis por meninos e meninas em idade escolar, para que mantenham o calendário vacinal em dia, garantindo uma forma eficaz de prevenção a vários tipos de neoplasias malignas.

Especialista em saúde pública, Figliuolo reforça que o imunizante pode prevenir pelo menos seis tipos importantes de câncer : de pênis, colo de útero, garganta, cavidade oral, ânus e vulva.

Vacina é garantia de futuro, afirma médico

“Garantir que crianças e adolescentes se vacinem não significa abrir as portas para o início precoce da vida sexual. Mas, pode garantir que, no futuro, eles desenvolvam essa doença que é tão estigmatizante e difícil de ser tratada”, reforça o especialista, que tem cerca de 20 anos de experiência na área da oncologia.

Segundo ele, o HPV é um vírus considerado atualmente como uma IST (infecção sexualmente transmissível) e relativamente comum, com inúmeros subtipos, alguns deles, oncogênicos.

“Os vírus oncogênicos têm maior potencial para desenvolver o câncer. O HPV pode infectar a pele e as mucosas, sendo transmitido, principalmente, pelo contato sexual sem proteção. Existem mais de 200 tipos de HPV”, explicou o cirurgião da Urocentro Manaus.

Ofertada de forma gratuita na rede pública do Amazonas, a vacinação contra o HPV é uma forma importante de prevenção, reduzindo significativamente a incidência dessas doenças. Dados divulgados recentemente mostram que a meta de vacinação ainda não foi alcançada em vários estados, o que preocupa a comunidade médica.

“Além de meninas e meninos, homens e mulheres adultos também podem se vacinar na rede privada. Já há pesquisas que apontam a eficácia da vacina também nesse público. No Amazonas, o câncer de colo de útero está no topo da lista das neoplasias malignas e quase 100% dos casos são causados pelo HPV. Por isso, nunca é tarde para se prevenir”, afirma Giuseppe Figliuolo.

Pessoas com deficiência imunológica podem se vacinar gratuitamente, lembra o especialista.

Recomendação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a vacinação de meninas e meninos entre 9 e 14 anos, antes do início da vida sexual, para garantir a máxima eficácia da imunização. A vacina é segura, com efeitos colaterais leves e temporários, como dor no local da injeção e febre baixa.

A imunização não só protege indivíduos, mas também contribui para a saúde pública, reduzindo a carga global de cânceres associados ao HPV.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *