Vacina contra a dengue chega ao Amazonas na semana que vem

Imunizante vai priorizar jovens de 10 a 14 anos

Confira os primeiros 12 municípios que irão receber as doses

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – O Amazonas começa a receber as primeiras doses de vacina contra a dengue na próxima semana. A garantia é do Ministério da Saúde, que estava apenas aguardando a tradução para o português da bula do imunizante Qdenga, do laboratório japonês Takeda.

No estado, serão atendidos primeiramente os municípios de Manaus, Iranduba, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Barcelos, São Gabriel da Cachoeira, Careiro, Nova Olinda do Norte, Manaquiri, Santa Isabel do Rio Negro, Autazes e Careiro da Várzea, onde as secretarias municipais e a Fundação em Vigilância Sanitária (FVS) identificaram o maior número de casos.

O esquema vacinal será feito em duas doses, com três meses de intervalo entre elas.

Doses para os jovens

Em razão de uma quantidade limitada de doses a serem fornecidas por parte do próprio laboratório, a vacinação contra a dengue vai priorizar crianças e adolescentes de 10 a 14 anos de idade, faixa etária que concentra o maior número de hospitalizações depois dos idosos.

Pessoas com mais de 60 anos não têm indicação para receber a dose em razão da ausência de estudos clínicos.

Explosão de casos em todo o país

Todo o Brasil enfrenta uma preocupante escalada nos casos de dengue em janeiro, com um aumento de 170% em comparação ao mesmo período de 2023, segundo o Ministério da Saúde.

Os dados revelam que o Distrito Federal lidera o ranking de coeficiente de incidência, com 551,7 casos prováveis por grupo de 100 mil habitantes, seguido do Acre (212,5/100 mil) e de Minas Gerais (166,5/100 mil).

No Amazonas

No Amazonas, o crescimento no número de casos de um ano para outro também foi alto. Em 2022, por exemplo, foram registrados 11.641 casos. Em 2023, passou para 18.425 registros da doença.

Nos primeiros dias deste ano (até dia 25 de janeiro) a FVS já havia registrado quase 4 mil casos de dengue, contra 2.860 de janeiro de 2023.
Prevenção é a solução

O excesso de chuva e a falta de medidas preventivas como a eliminação de criadouros do mosquito da dengue, por parte da população, são apontados como os maiores fatores de aumento nos números dessa arbovirose.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *