Urna eletrônica já foi verificada 4 vezes por especialistas

União Brasil, Senado e entidade sindical checaram a segurança

Não foi identificado nenhum problema, diz TSE

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – A urna eletrônica que será usada em todo o Brasil nas eleições municipais do dia 3 de outubro já foi avaliada por quatro especialistas, informou o Tribunal Superior Eleitoral, sem que nenhum problema fosse apontado pelos técnicos.

Hardware e software da urna passaram pela peneira dos técnicos de informática da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), do Senado Federal e do partido União Brasil.

Aperfeiçoamento na urna

A mais recente fiscalização foi da Controladoria-Geral da União (CGU) que sugeriu um aperfeiçoamento na urna eletrônica. O Tribunal Superior Eleitoral acatou a sugestão e promoveu a mudança.

Técnicos da área de tecnologia da CGU inspecionaram o código-fonte das urnas e apontaram como reforçar a segurança.

A proposta de alteração partiu do desenvolvedor Everton Ramos, que já havia participado da inspeção em 2022, também pela CGU.

“Era uma camada extra de validação na etapa de totalização dos votos. Já havia muitas etapas de validação, mas percebemos que essa validação dos hashes (resumos digitais) dos arquivos dos dados utilizados na totalização reforçava aquela etapa”, explicou ele.

Ciclo de Transparência

O procedimento era parte do Ciclo de Transparência – Eleições de 2024. O objetivo é garantir a fiscalização, por parte de órgãos e entidades legitimados, do sistema eletrônico que assegura as eleições no País.

O TSE tem 571.020 urnas aptas a serem utilizadas em sessões de votação por todo o Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *