Uma boa dieta é tudo que importa para controlar a diabetes

Causada pela queda na produção de insulina ou pela pouca absorção do hormônio pelo organismo, o diabetes vem acompanhado de uma série de restrições, entre elas, as alimentares.

E em tempos de pandemia do novo coronavírus, os cuidados precisam ser redobrados, uma vez que a comorbidade influencia diretamente no agravamento de quadros de Covid-19

Uma dica interessante é consumir a água saborizada (com cascas de laranja ou limão ou fatias de maçã ou outra fruta de sua preferência.

Causada pela queda na produção de insulina ou pela pouca absorção do hormônio pelo organismo, o diabetes vem acompanhado de uma série de restrições, entre elas, as alimentares. Especialistas afirmam que uma dieta equilibrada é um dos mais importantes passos para o controle da alteração crônica, considerada fator de risco para outras doenças, como as cardiovasculares e renais.

De acordo com o nutricionista da Associação Segeam (Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas), David Reis, pessoas diabéticas precisam evitar, por exemplo, o consumo em excesso de carboidratos, os quais viram açúcar no sangue durante o processo de metabolismo.

Dicas importantes

Outra dica importante é: evitar ao máximo o consumo de doces, que são fontes de glicose para o corpo. “O consumo de doces por pessoas diabéticas pode levar ao aumento da taxa de glicemia. E o excesso de glicose no sangue, por sua vez, resulta, em alguns casos, em hiperglicemia, condição associada a vários problemas de saúde, como retinopatia (danos aos vasos sanguíneos da retina), nefropatia (danos aos rins) e neuropatia (problemas no funcionamento dos nervos periféricos)”, explicou o nutricionista.
Um estudo publicado em 2010, pela Harvard School of Public Health, mostrou um risco aumentado para o diabetes tipo 2, a partir do consumo de carnes processadas e embutido. Além de conter muita gordura saturada, esses alimentos são ricos em sódio, substância que potencializa também, as chances de se desenvolver a hipertensão (aumento da pressão arterial). Juntos, o diabetes e a hipertensão são uma bomba relógio para o coração, elevando as chances de doenças coronarianas, infartos e também de AVCs (Acidentes Vasculares Cerebrais).

Número ideal de refeições

“O ideal é que o diabético faça cinco ou seis refeições ao dia, sendo três principais e as demais, lanches feitos nos intervalos. Elas precisam ser variadas, contendo carnes, ovos, leite, frutas, hortaliças, grãos e cereais. No caso dos carboidratos, o ideal é que eles sejam oriundos de frutas, hortaliças, grãos e leguminosas. Outro ponto importante inclui as fibras, substâncias que ajudam no controle glicêmico e melhoram a absorção dos carboidratos”, explicou David Reis.

De acordo com ele, o indicado é consumir 25 gramas de fibras ao dia, incluídas ao longo das refeições. Alguns exemplos de fontes de fibra são: aveia, feijão, ervilha, lentilha, grão de bico, soja em grão, arroz integral, linhaça, cevada, milho, centeio e farinha integral.

Cuidados nas bebidas

O uso de adoçantes não calóricos é importante e recomendado, desde que em quantidades adequadas, pois ajudará no controle glicêmico. No caso das bebidas, o ideal, segundo o nutricionista, é dar preferência à água e a sucos de frutas com pouco açúcar, como acerola, caju, goiaba, maracujá, graviola, taperebá e jenipapo.

No entanto, o consumo de sucos deve ser reduzido e a preferência é que a fruta em si seja consumida.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *