Tribunal de Contas vai passar a atender também pelo Google Meet

Servidores vão atender por meio de videoconferência

Nova ferramenta estará disponível para atender demandas do público externo

O Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) lançou, na manhã desta segunda-feira (15), a ferramenta “Alô Tribunal”, que vai facilitar a comunicação direta e imediata entre as partes processuais, incluindo advogados e representantes legais, que necessitam de acesso aos serviços dos gabinetes dos conselheiros e auditores.


O projeto “Alô Tribunal” foi implementado no TCE-AM por meio da plataforma de videoconferência Google Meet, que já é utilizada com sucesso pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). O atendimento será realizado pelos gabinetes de conselheiros e auditores durante o horário de expediente, das 10h às 12h, seguindo o horário de Manaus, por meio do endereço virtual https://www2.tce.am.gov.br/?page_id=63719.

Facilitando o acesso à Corte de Contas

O conselheiro-presidente Érico Desterro falou sobre a plataforma e os benefícios para a sociedade amazonense. Segundo ele, a ferramenta, que representa custo zero para o Tribunal, irá otimizar o acesso à Corte de Contas. “Essa é uma ferramenta que irá democratizar o acesso a informações processuais, evitando inclusive que as partes interessadas tenham que se deslocar até o Tribunal para poder ter informações do andamento do processo junto aos gabinetes, ou seja, um dos mais beneficiados serão os moradores do interior do Amazonas. Estamos ampliando e facilitando o acesso nessa seara da inovação tecnológica”, disse.

Acesso dos advogados

Participando do evento, o presidente da OAB-AM, Jean Cleuter Mendonça, ressaltou a importância da utilização da tecnologia para otimizar o atendimento processual. “A iniciativa do TCE-AM em implementar a ferramenta ‘Alô Tribunal’ demonstra o compromisso em agilizar e facilitar o acesso. Com essa ferramenta, os advogados e representantes legais poderão obter informações atualizadas sobre o andamento dos processos, sem a necessidade de deslocamento físico até o Tribunal. É um avanço significativo que beneficiará toda a comunidade jurídica, mas em especial os advogados. Quando um advogado tem o seu direito de acesso violado, é a sociedade quem perde, e o Tribunal de Contas mostra que quer o oposto disso”, disse Mendonça.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *