Tá calor que só!

Tem dias que parece que tem um sol para cada manauara, pois é pensado nesses dias que resolvemos reunir informações para o bem-estar e saúde dos nossos peludinhos para os dias mais quentes.

O calor pode afetar negativamente a vida dos nossos pets, falaremos sobre a hidratação, como refrescá-los, o conforto em casa e os cuidados nos passeios sempre visando o bem-estar e a qualidade de vida dos nossos companheiros peludos.

Os animais necessitam de água para o correto funcionamento do organismo e das reações biológicas, a água é o principal componente de diversos tecidos e órgãos, e dela também dependem as mais diversas reações bioquímicas do organismo.

A quantidade de água diária necessária pode ser um pouco difícil de determinar, alguns cães bebem grandes quantidades poucas vezes e alguns tem hábitos de beber diversas vezes ao dia… aqui a ideia é mantê-los hidratados, para simplificar: disponibilizar água potável e abundante, em recipientes que devem ser higienizados diariamente, nos locais onde eles gostam e costumam ficar. Alguns animais preferem inclusive água geladinha ou apreciam lamber uns cubinhos de gelo.

A qualidade da água também é importante, pois algumas doenças bacterianas, protozooses e parasitoses podem ser adquiridas por meio de uma água não adequada e contaminada por ovos e formas resistentes desses patógenos, podemos citar como exemplo a giardíase, amebíase, leptospirose, vermes redondos entre outros. Logo, oferecer água potável é uma excelente forma de manter a saúde dos nossos pets.

Petiscos para eles

Outra forma interessante de aumentar a ingesta de água é oferecer alimento úmido e petiscos naturais como frutas, são excelentes formas de recompensa, mas é importante consultar veterinário de confiança para maiores informações sobre quantidade diária e quais frutas são possíveis de oferecer.

Sobre o conforto térmico entramos numa questão que devemos considerar o tamanho e formato dos focinhos e a pelagem dos animais.

Os humanos transpiram quando fazem atividades físicas ou passam por dias quentes (que são nossa realidade de clima grande parte) o ato de transpirar ajuda nosso corpo a regular nossa temperatura interna de forma que o excesso de calor é eliminado e nosso corpo retorna a níveis de temperatura biológicos, para os cães e os gatos que não transpiram dessa forma, a termorregulação vai acontecer por meio da respiração, eles ofegam para expulsar o excesso de calor, logo cães com focinhos mais alongados são mais eficientes em eliminar esse excesso e os cães de focinho achatado sofrerão mais para fazer esse ajuste na temperatura interna.

Eles também sofrem com excesso de peso

Os animais com sobrepeso, os idosos, os sedentários e de pelagem longa e espessa também sofrem bastante com o calor e não são muito eficientes em termorregular sua temperatura na nossa região, logo merecem mais atenção nos dias de maior calor, podemos confortá-lo disponibilizando toalhas úmidas e tapetes gelados, além de ambientes ventilados e mesmo climatizados, além é claro de oferecer água e alimentos úmidos.

A tosa dos animais é um tema bem interessante e demoraríamos um bom tempo para discutir com qualidade, simplifico a temática em: escolha a tosa padrão da raça, refresque seu peludinho e redobre o cuidado com a higiene e conforto climático do ambiente que ele gosta de ficar.

E caso tenha dúvida procure um veterinário de confiança, lembrando que avaliações periódicas são a base da medicina preventiva e visitas de rotina servem para monitorar a saúde e em casos de doenças em estágio inicial tanto livram os animais de sofrimento como o tratamento é mais curto e barato.

Hora do passeio

Para grande parte dos cães, ao longo dos passeios e brincadeiras fazer pequenas pausas são o suficiente para eliminar o calor interno, mas alguns podem inclusive sofrer com insolação e problemas respiratórios, nesses casos os tutores devem buscar ajuda veterinária.

Outro aspecto a considerar em atividades ao ar livre é o risco de queimadura nos coxins (a sola dos pés) ao pisar na calçada, rua, areia ou mesmo grama quente. A temperatura do solo pode ser suportável para você que está calçado, mas os coxins dos pets além de ser uma estrutura de amortecimento mecânico também contribui para a termorregulação (sim, eles também transpiram pelos pés) mesmo que a maior parte ocorra pela respiração. Fique atento caso ele apresente sinais de desconforto ou alterações como fraqueza, letargia, ofegar e salivar em excesso, dificuldade respiratória, aumento do batimento cardíaco, mucosas arroxeadas, andar cambaleante, vomito, desmaio ou convulsão devido ao calor, busque ajuda veterinária

Nas épocas mais quentes do ano também temos mais predisposição a infestação por pulgas e carrapatos, e picadas de mosquitos, logo é essencial fazer uso de controle preventivo desses parasitas, como exemplo de controle preventivo temos ectoparasiticidas nas formas de coleira repelente, spray repente, spot-on, comprimidos … todos tem certa margem de segurança, porém para aumenta a segurança para nossos animaizinhos é interessante associar mais de uma forma de controle de ectoparasitas. Lembrando que o risco das doenças transmitidas por esses parasitas vai comprometer a saúde e o bem-estar dos pets, além do custo pelo sofrimento para eles e o custo tratamento para os tutores vai ser sempre maior que os valores em investir nas formas preventivas dessas enfermidades.

Para finalizar acrescento que passeios seguros são realizados com os animais em coleiras e peitorais com guias apropriadas e confortáveis e sobretudo, a importância da vacinação dos animais. As vacinas previnem doenças que comprometem o bem-estar dos animais e podem ser letais. Portanto, vacinem seus animais!

Anota aí as nossas dicas

  1. Disponibilizar sempre água potável fresquinha/geladinha para os pets
  2. Abrigo e conforto térmico em casa e nos passeios
  3. Passeios seguros e em horário cedo e temperatura mais amenas
  4. Jamais deixe o no carro, em local abafado ou exposto ao sol
  5. Não exagere em atividades físicas em animais sedentários, com sobrepeso, obesos, idosos, de focinho curto e de pelagem longa
  6. Ao observar sinais de desconforto busque ajuda Médica Veterinária.

Bons passeios e um grande abraço.
Ana Carolina Cunha
@animalcare.reabilitação


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *