Supremo Tribunal vota nesta quarta-feira ação contra Silas Câmara

Deputado federal pelo Amazonas responde por prática de “rachadinha” em seu gabinete, há 22 anos

Relator do processo pede devolução do dinheiro e cassação de mandato

O Supremo Tribunal Federal (STF) incluiu na pauta de julgamento desta quarta-feira (26) a Ação Penal 864, que acusa o deputado federal Silas Câmara (Republicanos) pelo crime de peculato e pede a perda do mandato dele na Câmara Federal. O relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, pediu a condenação de Silas Câmara e mais cinco assessores a penas de até 5 anos e três meses, no regime semiaberto, pagamento de multa de R$ 110,7 mil e a devolução de R$ 248,2 mil, o equivalente ao dinheiro que foi desviado no esquema de “rachadinha” – prática em que o parlamentar pede a seus funcionários de gabinete a devolução de parte de seus salários, para uso próprio.
Barroso também pede a perda do mandato de Silas, hoje coordenador da bancada evangélica na Câmara Federal.
Os crimes teriam ocorrido entre 2000 e 2011, totalizando um desvio de quase R$ 145 mil, em valores da época.
O julgamento começa às 14h (horário de Brasília) e vai ser transmitido na sessão ordinária do STF, pelo canal do YouTube.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *