Supremo Tribunal investiga Pazuello por mortes em Manaus

Óbitos aconteceram por falta de oxigênio, durante a pandemia

Ex-ministro é acusado de omissão em relação ao colapso na saúde de 2021

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – A morte de 31 pessoas em hospitais de Manaus, nos dias 14 e 15 de janeiro de 2021, por falta de oxigênio em todo o sistema de saúde do estado, colocou na lista de investigados do Supremo Tribunal Federal, o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que hoje é deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Pazuello é acusado de omissão na crise sanitária de Manaus. Documentos da Advocacia-Geral da União (AGU) revelaram que a gestão Pazuello tinha conhecimento do “iminente colapso do sistema de saúde” do Amazonas dez dias antes da tragédia. O relator do processo de investigação é o ministro Gilmar Mendes.

Cidadão do Amazonas

Eduardo Pazuello recebeu, um ano antes do colapso do sistema de saúde de Manaus por falta de oxigênio para vítimas da Covid-19, o título de Cidadão do Amazonas, concedido pela Assembleia Legislativa.

Depoimento à CPI

Pazuello foi também convocado à CPI da Covid-19, presidida pelo senador Omar Aziz e, na época, negou qualquer culpa do governo federal no colapso da falta de oxigênio no Amazonas. Ele afirmou que a culpa foi toda do governo estadual. “Da nossa parte, nós fomos muito proativos quando tomamos conhecimento”, disse ele no depoimento.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *