Suframa dá carta branca para o queijo de Autazes

Autarquia é avalista da Indicação Geográfica do produto junto ao Inpi

Registro confirma que o queijo de Autazes é único no Brasil

O superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, assinou nesta segunda-feira (27) um documento coletivo que deverá comprovar a notoriedade de Autazes (a 112 km de Manaus) na produção de queijos. Esse documento é exigido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) para o registro da Indicação Geográfica “Queijo de Autazes”.
As Indicações Geográficas são registros conferidos pelo Inpi a produtos ou serviços característicos de sua origem, proporcionando reputação, valor intrínseco e identidade própria, diferenciando-os dos similares no mercado. Produtos com esse reconhecimento apresentam qualidade única devido a recursos naturais como solo, vegetação, clima e conhecimento tradicional.
O superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, destacou a importância e o caráter estratégico das Indicações Geográficas, ressaltando que o tema faz parte do plano estratégico da Autarquia, visando estimular investimentos, aumentar as exportações de produtos da região, transformar a região em um polo de economia verde e melhorar o ambiente de negócios. “Estamos com nossas equipes completamente à disposição para aplicar todos os esforços necessários a essa obtenção de registro que será tão importante para o município de Autazes”, disse.

Superintendente Bosco Saraiva assina documento que confirma a notoriedade de Autazes na produção de queijos (Foto: Suframa)
Superintendente Bosco Saraiva assina documento que confirma a notoriedade de Autazes na produção de queijos (Foto: Suframa)

Produtos amazonenses

No Amazonas, seis produtos já possuem registro de Indicação Geográfica pelo Inpi: “farinha de Uarini”, “Abacaxi do Novo Remanso”, “Pirarucu de Mamirauá”, “Peixes Ornamentais do Rio Negro”, “Guaraná de Maués” e “Guaraná da Terra Indígena Andirá-Marua”.

Além do “Queijo de Autazes”, estão em andamento processos para o “Mel de Boa vista do Ramos”, o “Açaí de Codajás” (sugeridos pela Suframa em maio de 2020), a “Piaçava do Alto Rio Negro”, a “Pimenta Maniwa do Rio Negro” e o “Cacau do Purus”.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *