Som do beiradão invade as praias cariocas em julho

Músicos amazonenses vão lançar livro e fazer shows no Rio e em São Paulo

Bandas que se apresentavam nos navios de luxo do período da borracha influenciaram o nascimento do “beiradão”

Após percorrer as cidades de Belém, Manaus, Boa Vista, Porto Velho, Santarém e São Luís, o livro “Das Beiradas ao Beiradão”, do escritor Bernardo Mesquita, chega ao Rio de Janeiro no próximo dia 30 de julho, com lançamento no Sindicato dos Músicos do RJ e levado pela “Comitiva Beiradão”, um coletivo de músicos praticantes das artes beiradeiras.

Apresentações

Os músicos do Amazonas – Paulo Moura, Fidel Graça, Ivan Oliveira e Hadail Mesquita – serão responsáveis pela realização de quatro apresentações de lançamentos, sendo duas no Rio de Janeiro e duas em São Paulo. O lançamento terá roda de conversa, apresentação musical e os documentários “O áureo da música de Beiradão nas rádios manauaras”, do músico Paulo Moura; e “Beiradão – O Ritmo do Interior”, do e Fidel Graça.


Um dos cantores amazonenses de maior destaque na atualidade, Hadail Mesquita apresenta a nova face da música de Beiradão através do canal Portal do Beiradão. O guitarrista Ivan Oliveira traz os fraseados de Magalhães, Oseas e André do Amazonas.

Relação antiga

A relação entre as práticas musicais das beiradas do Amazonas e a capital do Rio de Janeiro remonta ao século XIX durante o auge da borracha. A partir da década de 20 era do Rio que chegavam nos portos de Manaus os navios com as orquestras e conjuntos de jazz. Os músicos vinham tocando nos navios e quando estes se encontravam atracados surgia a possibilidade de prestar serviços na cidade.
A presença dos conjuntos de jazz e de bandas de música no Amazonas foram elementos fundamentais para as práticas musicais das beiradas. O Beiradão é cultivado na prática e na memória histórica da população amazonense.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *