Senadores querem saber como rastrear o ouro que sai do território Yanomami

Eles vão realizar audiência pública sobre o assunto na terça-feira

Comissão vai ouvir a Receita Federal e os bancos

Brasília (ÚNICO) – A comissão temporária externa do Senado que acompanha a crise humanitária no território indígena ianomâmi, em Roraima, fará na próxima terça-feira (18), a partir das 8h, audiência pública para debater a rastreabilidade da lavra e da comercialização do ouro, na busca de uma resolução do conflito nessas terras indígenas.
Já confirmaram presença Ricardo de Souza Moreira, coordenador-geral de Fiscalização da Receita Federal; Erich Adams, membro da diretoria da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais; e Eduardo Ferrari de Araujo, do Banco Central. Também foram convidados representantes da Secretaria-Geral da Presidência da República e dos ministérios da Fazenda e de Minas e Energia.

Comissão

Criada em fevereiro, a comissão tem oito integrantes e já ouviu representantes do governo, do povo indígena Yanomami e dos garimpeiros, além de membros de entidades ligadas ao meio ambiente. Os três senadores de Roraima: Mecias de Jesus (Republicanos), Chico Rodrigues (PSB) e Dr. Hiran (PP) e ainda a senadora Eliziane Gama (PSD-MA) e o senador Humberto Costa (PT-PE) fazem parte da comissão.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *