fbpx
24 de setembro de 2021
Sempre há alguma coisa…!

Coluna:

Por: Maria Ritah

Maria Ritah é atleta ultramaratonista, apresentadora e produtora do programa Conexão Gaia, da radio Logos FM 87.9. Contato comercial 92-991021957

Sempre há alguma coisa…!

Maria-Rita

Por Maria Ritah

Vou contar uma história de aversão. Essa coisa de você se irritar com algo ou alguma coisa “do nada”. É até engraçado eu lembrar disso. (rs*)

Seguinte, eu gosto de esporte. Correr pelas ruas da cidade e avenidas de Manaus é meu exercício preferido. Sempre digo que correndo “exorcizo” alguns demônios e geralmente eu volto melhor depois de correr alguns quilômetros.

Teve um dia em 2015, (eu ainda não estava muito trabalhada nessa coisa de autoconhecimento, que fique claro hahaha), eu acordei irritada, enfezada e os sentimentos não eram bons. Então, para não matar um de raiva… (do nada) … eu resolvi calçar o tênis e correr.

Depois de 5km sugados de corrida, eu comecei a me sentir melhor e encontrei uma amiga de treino na avenida Boulevard Álvaro Maia, onde fizeram pista de ciclismo na calçada dos pedestres. Foi aí que decidi pegar carona no treino de velocidade dela e corremos por alí.

Esse período era campanha eleitoral e lá pelas 7h30 da manhã, os cabos eleitorais começaram a chegar no local, sacolejando as bandeiras no mesmo espaço em que estávamos treinando.

Gente do céu! Aquilo me irritou tanto, que vocês não têm noção.

Eu corri uma, duas voltas e na terceira falei para minha colega que eu ia correr pra cima das pessoas que estavam balançando as bandeiras, e elas que se desviassem. E assim eu fiz.

Minha amiga ficou espantada com meu comportamento agressivo (hahaha). “Mas, Maria você parecia tão calma”.

Pois é, eu fiquei depois morta de vergonha! Naquele dia eu aprendi uma grande lição.

Eu podia ter agido de outra maneira. Poderia ter parado minha corrida, falado com a pessoa para dar um pouco mais de espaço, mas não! Eu fui de uma grosseria, que perdi a razão.

O que eu aprendi?

Quando sentimentos desagradáveis preenchem a mente da gente, ela resmunga. Resmunga para tudo que aparece no caminho e seja lá o que for. Até mesmo para uma mente treinada, ela resmunga.

Eu tinha opções melhores de agir. Eu poderia lembrar que o trabalho de ficar em pé balançando bandeirolas, não deve ser agradável. O dia todo panfletando, também não.

Conto isso, porque é um bom exemplo de como a paz de espírito está disponível apenas se estivermos dispostos a abrir mão dos nossos próprios interesses e expectativas.

Sentimentos ruins vem e vão a todo momento e isso é uma resposta natural da mente quando ela se identifica ou lembra algo desagradável pelo qual se passou.

Amigos, eu aprendi que ter aversão não precisa ser um problema. Pelo contrário pode ser uma maneira de exercitar a empatia e trabalhar minhas dificuldades.

Faz sentido para você?

Maria Ritah, é atleta ultramaratonista, apresentadora e produtora do programa Conexão Gaia, da radio LOGOS FM 87.9. Contato comercial 092-991021957

Qual sua Opinião?

Confira Também