fbpx

Sem proteção adequada, profissionais de saúde são infectados no Amazonas

Profissionais de saúde, que estão na linha de frente no combate ao coronavírus, estão expostos à própria sorte. Sem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados e tendo contato direto com pacientes com a Covid-19, eles estão contraindo o vírus. No Amazonas, mais de 20 já foram afastados de sua função por testarem positivo ao coronavírus. E outros estão com sintomas compatíveis com a doença e aguardam resultado do teste.

  • ✅ Endereços desconhecidos

A Secretaria de Estado da Saúde não revela onde trabalham os profissionais que foram infectados. Nas unidades de saúde, os profissionais reclamam da falta de EPIs adequados suficientes para se protegerem e diz que o Governo não fala verdade quando anuncia que não há falta de máscaras N95, escudo de rosto, luvas e capotes indicados para quem está atendendo os pacientes com

  • ✅ Proteção contra o coronavírus

O Governo diz que apenas os profissionais que atuam no Delphina Aziz vão receber os EPIs especiais, deixando os outros profissionais dos prontos-socorros e SPAs desguarnecidos. E para completar, enfermeiros, médicos e pessoal de apoio estão com o pagamento atrasados. Enfermeiros que atuam nas UTIs, por exemplo, denunciam que estão trabalhando mesmo com quatro e até cinco meses com pagamento atrasados.

  • ✅ Problema mundial

A falta de EPIs é hoje um problema mundial, mas no Amazonas os profissionais de saúde reclamam da falta desses equipamentos desde o ano passado. Até porque na região há focos de contaminação de superbactéria e de outros vírus, entre eles o H1N1, que provocam síndromes respiratórias aguadas graves.

  • Arthur faz apelo a Bolsonaro

O prefeito Arthur Neto postou um vídeo nas suas redes sociais, onde fez um apelo dramático ao presidente Bolsonaro. Após falar das ações tomadas pela prefeitura e manifestar sua preocupação quanto ao cenário, Arthur implorou que o presidente assuma o comando de forma consciente e responsável no combate ao coronavírus.

  • ✅ Deputados aprovam pacotão do Governo

Os deputados estaduais aprovaram ontem (31) em sessão virtual tudo o que o governador Wilson Lima pediu para enfrentar a pandemia de coronavírus. Vai poder remanejar recursos estimados em mais de R$ 1 bilhão de outras secretarias para ações de combate à Covid-19 e pagar em dia os servidores públicos. Vinte e um deputados aprovaram as medidas fiscais às cegas, porque o Governo não enviou quadros demonstrativos. Votaram contra apenas os deputados Serafim Correa (PSB), Wilker Barreto (Podemos) e Dermilson Chagas (sem partido) por falta de transparência da mensagem do Governo.

  • ✅ “Comissão da base”

Foi criada uma comissão para acompanhar a execução fiscal, orçamentária e financeira no período de calamidade pública até dezembro. Detalhe:nenhum dos deputados considerados independentes ou de oposição fazem parte da comissão que tem como presidente a deputada Alessandra Campelo (MDB), Joana Darc (PL), Mayara Pinheiro (Progressistas), Roberto Cidade (PV) e Saulo Vianna (PTB), todos da base de apoio do Governo, como titulares da comissão; e Álvaro Campelo, Belarmino Lins (Progressistas) e delegado Péricles (sem partido) como suplentes.

  • ✅ Lado técnico de fora

Nem o deputado Serafim Corrêa (PSB) reconhecidamente o mais qualificado parlamentar em assuntos econômicos da assembleia foi incluído na comissão.

  • ✅ 26 curados no Amazonas

A notícia boa é que das 175 pessoas que contraíram a Covid-19 no Amazonas, 26 já foram curados. Receberam o tratamento e já testam negativo para o vírus. Até terça-feira (31/3), os dados oficiais mostravam que o Amazonas tem 28 pacientes confirmados com o coronavírus internados nos hospitais públicos e privados e 118 em isolamento domiciliar, com três mortes.

  • ✅ Governo Federal socorre

O Governo Federal está enviando ao Amazonas mais de 3 mil frascos de álcool em gel, mil e cem óculos de proteção, 312 mil luvas para procedimentos cirúrgicos, 2 mil e 500 sapatilhas, 260 mil máscaras cirúrgicas, 14 mil aventais e 5 mil e 700 toucas. A dúvida é saber se esse material vai chegar aos trabalhadores que estão expostos ao coronavírus nas unidades de saúde e não apenas aos que atuam no Delphina Aziz.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.