Retenção urinária é assunto sério: veja quais as causas e tratamentos indicados

Às vezes a pessoa sente uma vontade de fazer xixi enorme, mas quando vai ao banheiro, a quantidade de líquido eliminada da bexiga é mínima. Pode ser um sinal da retenção urinária, condição que afeta, em sua maioria, homens com 50 anos ou mais, e pode ser aguda ou crônica, dependendo da causa. Os motivos são variados, e podem incluir a presença de massa na região pélvica, aumento ou câncer de próstata, câncer de bexiga, tumores benignos, lesões e até medicações usadas sem prescrição ou problemas nervosos. Mas, atenção: na forma aguda, o problema pode ser considerado uma urgência urológica e pede intervenção imediata de um especialista.

Quem consegue urinar, mas tem dificuldade em dar início ao esvaziamento, pode ter a forma crônica do problema.

Veja o que o cirurgião urologista da Urocentro Manaus, Giuseppe Figliuolo, diz sobre isto:

“Se um tumor crescer próximo à bexiga ou até nela própria, pode ocasionar uma obstrução. Nesses casos, quando o indivíduo, seja homem ou mulher, tenta urinar, apesar de sair uma parte do líquido, a sensação é de sempre estar com vontade de fazer xixi, o que gera incômodo e aumento da freqüência urinária”, ressalta o especialista.

Principais dificuldades

Os principais sintomas, de acordo com Figliuolo, são: dificuldade em começar a urinar ou em esvaziar totalmente a bexiga, gotejamento ou fluxo de urina fraco, perda de pequenas quantidades de urina durante o dia, incapacidade de sentir quando a bexiga está cheia, aumento da pressão abdominal ou falta de vontade de urinar.

“Em geral, a obstrução urinária acaba por comprometer a qualidade de vida dos pacientes e também o convívio social. E, se não tratada, pode causar isolamento e até levar à depressão, dependendo do caso”, frisou.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é feito através de avaliação clínica e exames complementares, como os de sangue e imagem (ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética).

Os tratamentos são variados e dependem muito da causa da alteração. Nos casos do aumento da próstata, denominado hiperplasia prostática benigna, a avaliação clínica pode levar a um procedimento cirúrgico ou a terapias medicamentosas para controle.

Já em casos de câncer, tanto de próstata quanto de bexiga, pode haver a necessidade de tratamento cirúrgico ou associado, utilizando quimioterapia e radioterapia, dependendo do estadiamento da doença (localização e disseminação/metástase).


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *