Quarto suplente vai assumir vaga do vereador Tabosa que foi cassado pelo TRE

A Câmara Municipal de Manaus CMM aguarda a notificação do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas que cassou por unanimidade na última terça-feira (15), o mandato do vereador Ronaldo Tabosa (sem partido) por infidelidade partidária, para convocar o quarto suplente Marrison Roger (PP) que teve apenas 737 votos na eleição de 2016. Até à tarde desta quinta-feira (17), o TRE ainda não tinha publicado o acórdão da decisão.

Tabosa assumiu a cadeira de vereador em 2019 como suplente do deputado estadual Álvaro Campelo (PP), mas foi cassado pela quarta vez, por infidelidade partidária em função de ter deixado o Partido Progressista em 2018, para se filiar em outro partido.

Decisão cabe recurso

O secretário judiciário do TRE-AM, Walber Oliveira, afirma que nesses tipos de decisão, cabe recurso. Já a assessoria do parlamentar informou que irá aguardar a publicação do acórdão, para definir o procedimento a ser adotado.

O vereador Tabosa, diz não ter cometido infidelidade partidária. “Eu saí do PP na época da janela eleitoral, tentei retornar ao PP, mas fui impedido pela presidência. Esta é a minha quarta cassação e isso acontece porque não tenho um protetor”,afirmou.

Histórico de Cassações

A primeira cassação de Ronaldo Tabosa, que é empresário, aconteceu em 2011, quando ele exercia o mandato de deputado estadual . Foi punido por infidelidade partidária. A segunda aconteceu em 2013, quando a vereadora Glória Carrate (PDT) assumiu como suplente. A terceira ocorreu esta semana também por infidelidade partidária e o que seria a quarta, é na verdade, a primeira cassação que ocorreu em 2009, quando o seu filho, Jander Tabosa perdeu o cargo, após acusação de falsidade ideológica. Em 2007 Jander foi candidato a vereador, mas quem aparecia nas propagandas era o seu pai, Ronaldo Tabosa. Por causa dessa situação o filho perdeu o mandato.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *