Projeto histórico de Manaus, criado pelo arquiteto Severiano Mário Porto será recuperado pela prefeitura

Arquiteto foi o autor do projeto original do Vivaldo Lima e do Campus da UFAM

Basa cedeu o prédio após uma longa negociação. Ele está localizado no Centro de Manaus

A Prefeitura de Manaus e o Banco da Amazônia (Basa) fecharam um acordo para que o prédio da instituição financeira seja cedida ao município pelos próximos 25 anos – com opção de compra no final – para que a arquitetura original do imóvel seja resgatada.


O autor do projeto arquitetônico – que mistura harmonicamente elementos da natureza com o concreto – é o arquiteto mineiro Severiano Porto, que morou em Manaus por muitos anos.
“Essa iniciativa é uma conquista para a cidade, pois é uma obra com alto valor histórico e arquitetônico”, apontou o presidente do Conselho de Cultura, Tenório Telles, que esteve à frente das negociações iniciadas há mais de um ano.

Grupo de trabalho

Tenório Telles informou que para a efetivação do processo de incorporação será criado um grupo de trabalho, com representantes do Basa e da Prefeitura, para definir as condições e o cronograma para a conclusão dos procedimentos necessários. “Mais um patrimônio será protegido e preservado para a população”, destacou Tenório.


Tenório destacou a importância do prefeito David Almeida durante todo o processo de negociação e do vice-prefeito Marcos Rotta. “Ambos deram o apoio para que hoje possamos dar essa grande notícia a todos os que amam Manaus”, disse.

Legado de Severiano

O arquiteto Severiano Mário Porto morreu de Covid-19 em 2020. Ele era conhecido como o “Arquiteto da Floresta” ou “Arquiteto da Amazônia” e foi responsável por várias obras hoje existentes em Manaus como o prédio da Suframa, o campus da Universidade Federal do Amazonas, o Fórum Henoch Reis, o extinto estádio Vivaldo Lima e vários outros.


Fez também muitas residências e prédios comerciais integrando madeiras da região ao concreto, como é o caso da sede do Basa em que grandes troncos de madeira e treliças delicadas se integram ao concreto armado, estruturas metálicas e outros materiais.

Veja abaixo o ofício do Basa confirmando a cessão para a prefeitura:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *