Prefeitura de Parintins e Hospital Padre Colombo entram “em guerra”

Hospital suspendeu atendimento a pacientes do SUS

Prefeitura lança nota dizendo que aceita gerenciar a unidade

Repasses financeiros e investigação do MPAM estão por trás do desentendimento

Por Solange Elias
Para o Portal ÚNICO

O município de Parintins está vivendo uma situação complicada no setor da Saúde, desde a manhã desta sexta-feira (1), quando foram suspensos os atendimentos a pacientes do SUS no Hospital Padre Colombo, de propriedade e gerenciado pela Diocese de Parintins. De um lado, a unidade hospitalar alega que não recebe recursos financeiros suficientes e está sobrecarregada no atendimento ao público e, de outro, o prefeito Bi Garcia (DEM) usa as redes sociais para divulgar notas e comunicados à população, acusando a administração do hospital de mau gerenciamento.
O desentendimento entre a Secretaria Municipal de Saúde de Parintins e o Hospital Padre Colombo tem como pano de fundo, investigações sobre violência obstétrica e óbitos de bebês. O Ministério Público do Amazonas (MPAM) abriu no início desta semana inquérito para apurar as denúncias e deve começar a ouvir as vítimas na próxima semana.

Notas pra lá e pra cá

Em nota oficial publicada no Facebook, a Semsa diz que houve “tentativa da direção do Hospital Padre Colombo em querer transferir para a Prefeitura de Parintins sua responsabilidade a respeito das denúncias sobre casos de violência obstétrica que teriam causado a morte de bebês e a suspensão dos serviços da unidade hospitalar para usuários do SUS por falta de cobertura contratual” e que “somados os repasses federais, estaduais e municipais, o hospital Padre Colombo recebe mensalmente o valor de R$ 1.584.950,41”.
A administração divulgou logo em seguida um documento (ver cópia nesta matéria) afirmando ser “mentira” o repasse de R$ 1.584.950,41 e que a prefeitura está tentando “macular a imagem” da Diocese de Parintins e da direção do Hospital Padre Colombo.

Serviços de obstetrícia

Com a rixa, os serviços obstétricos foram transferidos para o Hospital Jofre Cohen, que até recentemente era referência para a Covid-19. “A Prefeitura, Secretaria de Saúde e direção do hospital trabalharam para organizar a unidade”, diz novo comunicado no FB.

Má administração

Segundo a prefeitura, “os serviços prestados pelo hospital Padre Colombo são imprescindíveis para a população de Parintins. Diante das dificuldades apresentadas em gerir esta renomada unidade de saúde, a Prefeitura de Parintins se coloca à disposição, como parceira que sempre foi, para administrá-lo”.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *