Prefeitura de Autazes pede socorro contra balsas de garimpo ilegal

Prefeito solicitou reforços para a região da Comunidade do Rosarinho

Pedido foi feito ao governo, Marinha, Polícia Federal e Ministério do Meio Ambiente

O prefeito de Autazes, Andreson Cavalcante (PSC), informou que enviou pedidos de reforços e de segurança a diversos órgãos das esferas estadual e federal para ajudar a controlar a chegada de centenas de balsas de garimpo (dragas) que estão “invadindo” o rio Madeira e formando “cidades flutuantes” em frente à Comunidade Rosarinho, que fica entre as cidades de Autazes e Nova Olinda do Norte.
Segundo o prefeito, foram acionados o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e ainda foi solicitado reforço ao à Marinha, Polícia Federal e também do Ministério do Meio Ambiente.

Balsas estacionadas em frente à Comunidade do Rosarinho, em Autazes

Barreira sanitária

Andreson Cavalcante disse ainda que a prefeitura está organizando uma barreira sanitária na estrada Autazes/Rosarinho para resguardar a população, principalmente de contágio do Coronavírus. “Não podemos permitir que essa atividade, que é ilegal, coloque em risco a vida dos moradoes do Rosarinho e, consequentemente, de toda a região. Os ribeirinhos e comunitários solicitaram que a prefeitura os ajudassem a preservar o rio, os peixes e o seu trabalho”, destacou o prefeito.

Invasão

A chegada das balsas foi identificada no começo desta semana. As imagens são assustadoras de dezenas de embarcações alinhadas, ancoradas, formando uma cidade flutuante e estacionadas no meio do rio Madeira. São balsas, empurradores, barcos e todos os equipamentos necessários para a extração de ouro no rio.
O presidente do Ipaam, Juliano Valente, disse que o órgão identificou a movimentação de embarcações, por imagens de satélite de monitoramento da região. Segundo ele, essas movimentações anormais acontecem quando se espalha a informação – ou o boato – de que em determinada região há ouro em abundância.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *