Prefeito David lança primeiro Plano de Contingência de Manaus

Documento aponta ações para enfrentamento de desastres naturais

A meta é dar uma pronta-resposta em caso de um imprevisto

O prefeito de Manaus, David Almeida, lançou, nesta terça-feira (28), o primeiro Plano de Contingência da capital, um documento estratégico que define as ações das diversas entidades municipais antes, durante e após desastres naturais.

Elaborado pela Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil Municipal (Sepdec), o documento tem 90 páginas e pode ser conferido no link: https://www.manaus.am.gov.br/wp-content/uploads/2024/05/PLANO-DE-CONTINGENCIA-OFICIAL-2024-UNIFICADO.pdf

Respostas rápidas

Durante o lançamento realizado no Centro de Cooperação da Cidade (CCC), no bairro Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, o prefeito David Almeida, explicou que o plano é um trabalho desenvolvido com a transversalidade das pastas municipais, para dar respostas rápidas à população.

“A pandemia nos ensinou bastante, a maior enchente nos ensinou, a maior estiagem e, desde setembro, nós estamos construindo esse plano de contingência. São respostas rápidas aos problemas climáticos surgidos a partir dos fenômenos naturais, e que, agora, estão à disposição de toda a sociedade no site da prefeitura”, disse ele.

“A gente não pode impedir que chova, a gente não pode impedir que o rio possa baixar, secar, mas estamos mostrando para a sociedade, para a população, que nós temos condições de dar as respostas necessárias caso ocorram esses eventos climáticos”, completou o prefeito.

O que diz o documento

O documento estratégico define as ações das diversas entidades municipais antes, durante e após desastres naturais, como chuvas intensas, cheias, estiagens e incêndios. O plano conta também com um monitoramento das áreas de encostas.

“Nós estamos também instalando, em Manaus, 14 estações meteorológicas e, posteriormente, vamos também montar estações sísmicas para evitar que essas áreas de risco possam ter um desbarrancamento, ou algo nesse sentido, que possa vir causar muitos problemas e danos à população”, acrescentou o prefeito.

Poços artesianos

Outra medida prevista no plano será a perfuração de 15 poços artesianos de 120 metros por 6 polegadas de diâmetro, em 15 comunidades ribeirinhas mais isoladas.

“Os poços que tínhamos com 40 metros já secaram, então, está dentro do plano de contingência, nós iremos fazer a instalação nas 15 comunidades. Fizemos o mapeamento de 83 comunidades no entorno da cidade de Manaus que são impactadas, e temos a estimativa da aquisição de alimentos, kits de higiene; caso venha acontecer algo nesse sentido, temos um planejamento feito e assim nós vamos dar a pronta-resposta para a população”, complementou o prefeito.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *