fbpx
3 de julho de 2022
“PRAÇA DA POLÍCIA”: BERÇO DO CLUBE DA MADRUGADA E DO PROJETO JARAQUI

Coluna:

Por: Ademir Ramos

É professor, antropólogo, coordenador do projeto jaraqui, do NCPAM/UFAM vinculado ao Dpto. de Ciências Sociais.

“PRAÇA DA POLÍCIA”: BERÇO DO CLUBE DA MADRUGADA E DO PROJETO JARAQUI

Praça da Polícia

Ademir Ramos

Ademir Ramos é professor e antropólogos – [email protected]

O Grito da Comuna do Jaraqui tem por fim chamar atenção do governo estadual e municipal para o zelo e os cuidados dos logradouros públicos de Manaus, em atenção as Praças.

Neste sábado (25), a partir das 10 da manhã, o Projeto Jaraqui (PJ), juntamente com o Centro Associativo Amigos da Praça, sob direção do Zezinho (Zé Rocha), vai homenagear a centenária Praça Heliodoro Balbi, popularmente conhecida como Praça da Polícia, no centro histórico de Manaus. Sua Data de fundação é um tanto quanto ambígua, algumas referências remetem ao ano de 1872 mais ainda em 1894 no governo Eduardo Ribeiro, sendo cuidada pelo então prefeito de Manaus, Adolpho Lisboa, em 1906 com instalação do Coreto e de algumas esculturas de ferro que até encontram-se na Praça.

Na oportunidade, o Celeestino Neto, da Livraria Sebo “O alienista”, estará expondo livros e promovendo o lançamento da obra inédita “Vestígios da Curandage – memórias de saberes popular/tradicionais” da professora, pesquisadores e educadora popular Fatima Guedes, que recorre a tradição para responder a cura do corpo e da alma de forma ritualizada ordenada por uma terapêutica encarnada na cultura das comunidades tradicionais ainda tão presente na floresta e nas cidades amazônicas.

A Praça Heliodoro Balbi também chamada Praça da Polícia, por ficar em frente ao então quartel da Polícia Militar, talvez seja um dos logradouros de Manaus que mais tenha trocado de nome, segundo afirma o pesquisador Otoni Mesquita, foi chamada de Praça vinte oito de setembro (alusão a data da Lei do Ventre Livre), Largo do Palacete, Praça da Constituição, Praça Gonçalves Ledo, Praça Roosevelt, Praça João Pessoa e Praça Heliodoro Balbi. O certo que o povo a consagrou como Praça da Polícia.

Helidoro Balbi foi professor, deputado federal, jornalista e conhecido como um dos maiores oradores do seu tempo. Amazonense de Manaus, nascido em 16 de fevereiro de 1876, vindo a falecer no dia 26 de novembro de 1918, em Rio Branco, no Acre, vítima da chamada gripe espanhola, é o que regista Souto Loureiro, mais tarde seus restos mortais foram trasladados para o Cemitério São João Batista de Manaus, registra o professor Agnello Bittencourt.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem necessariamente a opinião do ÚNICO.

Qual sua Opinião?

Confira Também