Portarias ampliam permanência da Força Nacional na Amazônia

Tropas reforçam combate ao garimpo e ao desmatamento

Agentes da Base Arpão, no Amazonas, também ficam mais tempo

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – O Ministério da Justiça publicou três portarias nesta quinta-feira (28) autorizando efetivos da Força Nacional a continuarem atuando em três diferentes operações em curso na Amazônia Legal.

Atuação no ICMBio

A primeira portaria amplia em 90 dias a participação do efetivo que apoia os servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e do Ibama no combate ao desmatamento e queimadas ilegais e a outros crimes ambientais.

O novo prazo passa a vigorar a partir de 1º de janeiro e é válido até 30 de março de 2024, podendo ser prorrogado.

Contra madeireiros e garimpeiros

Também foi prorrogado o emprego da Força Nacional nas operações de combate à extração ilegal de minério e madeira e à invasão de áreas públicas federais, além do combate a incêndios criminosos. Estas operações também são do ICMBio.

A extensão do prazo, por mais 90 dias, vale até 31 de março e também pode ser prorrogada.

Agentes do rio Solimões

A terceira portaria amplia a permanência de agentes na calha dos rios Negro e Solimões, no estado do Amazonas, onde, desde janeiro de 2021, a Força Nacional vem apoiando os órgãos de segurança estaduais em iniciativas de combate ao crime organizado, ao narcotráfico e a crimes ambientais, no âmbito da chamada Operação Arpão 1 (Médio Solimões).

Ela é válida de 4 de janeiro a 1º de abril de 2024.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *