Policiais traficavam usando fardas e viaturas militares (ver vídeo)

Ministério Pùblico do Amazonas recebeu vídeo com as cenas do crime

Seis PMs foram presos na “Operação Audácia”; dois estão foragidos

Um vídeo enviado ao Ministério Público do Amazonas deu origem à “Operação Audácia”, deflagrada na manhã desta sexta-feira (14) em Manaus e que resultou na prisão de cinco policiais militares. Três ainda estão foragidos.

O vídeo foi gravado na rua Ana Nogueira, bairro Educandos (Zona Sul), no dia 17 de maio passado e mostra os policiais fardados descarregando sacos de fibra com dezenas de quilos de drogas, em plena luz do dia e na frente de várias pessoas na rua movimentada.

Detalhes do caso

O promotor Armando Gurgel Maia, titular da Promotoria Especializada no Controle Externo da Atividade Policial (Proceap) concedeu entrevista coletiva logo após a operação, e revelou alguns detalhes do caso.

Viaturas oficiais

As sacas eram retiradas de uma casa e levadas para uma viatura do Instituto Integrado de Ensino em Segurança Pública (IESP), entidade que oferece cursos a policiais para aperfeiçoamento profissional. Outra parte do carregamento foi transportada para uma viatura da 2ª Cicom.

Identificação

Segundo o promotor, os policiais envolvidos no caso, segundo o MP-AM, atuam no Batalhão de Trânsito e na 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

Foram presos os cabos do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTRAN) Joel Nunes de Souza , Jhoanerson Fernandes de Oliveira, os 3° sargentos Elizoney Pinheiro da Silva do BPTRAN e Wender Bentes da Costa da 2° Companhia Interativa Comunitária (2° Cicom). O 3° sargento Ivan Cruz Souza, da 2° Cicom hoje pela manhã.

Estão foragidos o 2° sargento Fabiano Araújo Negreiros, 3° sargento Clovis Matias da Silva do BPTRAN e o 2° Tenente Francisco de Assis Mota da Silva da 2° Cicom.

“Eles foram até esse local, não se sabe para transportar essa droga por fazerem parte já do próprio corpo da traficância ali ou se foram tomar essa droga de algum outro traficante naquilo que no jargão popular chamamos de “arrocho”, disse o promotor Armando Gurgel “De uma forma ou de outra eles incidem no crime de tráfico de drogas, porque estavam transportando drogas”, disse o promotor.

No final da tarde desta sexta, o Ministério Público confirmou a prisão do sexto integrante da quadrilha, tenente Francisco de Assis Mota da Silva.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *