PGR denuncia governador do Acre, esposa e irmãos

Todos são acusados de crimes que somam R$ 12 milhões do dinheiro público

Investigações chegaram a condomínio de luxo na Ponta Negra, em Manaus

Fábio Rodrigues
Para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – A Procuradoria-Geral da República denunciou o governador do Acre, Gladson Cameli (PP) por cinco crimes, incluindo organização criminosa e corrupção. O órgão pede que Cameli seja afastado até o fim das investigações. Os crimes teriam causado prejuízo de quase R$ 12 milhões aos cofres públicos.

Família também

Além do governador, também foram denunciados a esposa e dois irmãos de Cameli. Ao todo, são 13 pessoas, entre servidores, empresários e pessoas que teriam atuado como “laranjas”. Cameli seria o líder do grupo acusado de crimes de organização criminosa, corrupção nas modalidades ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e fraude a licitação.


Em março deste ano, a PF já tinha bloqueado R$ 10 milhões, carros, imóveis e um avião do chefe do Executivo acreano.

O esquema

Segundo investigações da PF, os crimes aconteceriam desde 2019. O governador teria recebido mais de R$ 6 milhões em propina de empresas de construção —algumas que têm o irmão dele, Gledson, como sócio —para fechar contratos fraudulentos.

Operação em Manaus

Em março deste ano, a Polícia Federal realizou uma fase da Operação Ptolomeu no condomínio de luxo Barão do Rio Negro, na Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus. Nesse condomínio moram familiares de Cameli. Um deles é o irmão e empresário Eládio Cameli Júnior.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *