PF investiga dois casos de “sextortion” em Manaus

Homens usavam imagens íntimas de vítimas para extorquir

Crimes incluíam divulgação de abuso infantojuvenil

A Polícia Federal no Amazonas deflagrou na manhã desta sexta-feira (15) a Operação “Meu
Nome Não é Ana”, com o objetivo de cumprir um mandado de busca e apreensão contra um homem que armazenava e compartilhava material contendo abuso infantojuvenil na capital
Amazonense. O homem também é investigado pelo crime de “extorsão sexual”.

Prisão em flagrante

Durante a ação foi decretada a prisão em flagrante do envolvido, uma vez que foram
encontrados vídeos contendo o conteúdo ilícito. Para deflagrar a operação, foram mobilizados mais de dez policiais federais que cumprem os mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal, resultado de denúncia realizada por uma organização internacional.


As investigações revelaram que o investigado enganava as vítimas na internet se passando por uma criança.

Outra ação

Ainda nesta semana, os agentes da PF cumpriram outro mandado de busca e apreensão, pelo mesmo crime, em Manaus. A operação, que não se correlaciona com a Operação Meu Nome Não é Ana, foi intitulada Operação Cutia, contra um ex-empresário local. Nesta ação, foram apreendidos materiais eletrônicos para apreciação da perícia.

O que é “sextortion”

A conduta é conhecida como “Sextortion”, que é o termo designado para tratar de alguns tipos de extorsões, praticadas com o uso de conteúdos de teor sexual, como fotos ou vídeos íntimos. Nesses casos, os criminosos chantageiam as vítimas afirmando ter algum material comprometedor sobre ela, ameaçando expô-la caso as suas exigências não sejam cumpridas.

Fonte: Assessoria da PF


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *