PRIMEIRA MÃO

PDT do Amazonas bate martelo nesta quinta-feira sobre o 2º Turno

Eduardo comemora apoio de trabalhadores

Wilson e David voltam à campanha em comício

Serrarias invadem o interior do Amazonas sem nenhuma fiscalização

Ministério Público vai comprar aviões para fiscalizar a floresta

Corpo de indigenista é exumado em busca de pistas

Bolsonaro bloqueia dinheiro da Universidade Federal do Amazonas

População não atende o chamado de vacinação contra a poliomielite

Assembleia Legislativa abre debates sobre a queda da ponte no rio Curuçá

Ninguém quer a Rodoviária em bairro distante, diz a Defensoria Pública

Por Claudio Barboza e Solange Elias, com editorias do Único

Decisão do PDT no Amazonas

O PDT se reúne nesta quinta-feira (6) às 18h, na sede do partido, para definir oficialmente qual a sua posição em relação ao segundo turno das eleições no Amazonas. Apesar de o presidente nacional da agremiação, Carlos Lupi, ter anunciado oficialmente o apoio do PDT a Lula, a reunião também vai debater sobre essa opção.

Carol decidiu por Eduardo

A defensora pública Carol Braz, que foi candidata ao governo pelo PDT, declarou, na segunda-feira, apoio a Eduardo Braga (MDB).

Encontro de Eduardo com trabalhadores

Eduardo Braga (MDB) recebeu o apoio formal do PT no Amazonas. Durante encontro na tarde de quarta-feira (5), representantes do PT e do PCdoB , manifestaram apoio ao candidato. O encontro, realizado na sede petista, teve também a presença do senador reeleito Omar Aziz (PSD).

Wilson e David

Candidato à reeleição, o governador Wilson Lima (UB) teve a companhia do prefeito David Almeida (Avante) e de vários deputados reeleitos, em comício realizado na noite de ontem na Zona Oeste de Manaus. O ato marcou o reinício da sua campanha no segundo turno.

Serrarias fazem o que bem entendem

Apesar dos discursos oficiais, a realidade é que o corte de árvores no Amazonas continua um território sem lei. O ÚNICO tem informações da proliferação de serrarias em vários municípios, que atuam sem nenhuma fiscalização. Grande parte de madeira chega a Manaus, sem nenhum obstáculo.

Aviões para a floresta

O quadro de desmatamento e impunidade registrado no Amazonas tanto é grave, que o Ministério Público Federal anunciou a compra de seis aviões para atender exclusivamente os procuradores de Justiça da Amazônia, para fazerem sobrevoos sobre reservas e Terras Indígenas, afetadas sistematicamente pelo desmatamento, garimpos ilegais e violências contra indígenas.

Exumação de indigenista

A Polícia Federal procura nos restos mortais do indigenista Maxciel Pereira dos Santos, morto em 2019, em Tabatinga, uma ligação com as mortes de Bruno Pereira e Dom Phillips, no Vale do Javari, em junho passado. Os investigadores buscam um projétil para descobrir qual foi a arma que matou Maxciel, que também foi morto por denunciar invasão e pesca ilegal em Terras Indígenas.

Bolsonaro segura dinheiro da universidade

A Universidade Federal do Amazonas, divulgou nota oficial, onde diz que o decreto nº 11.216, do Governo Bolsonaro, sobre programação orçamentária, impõe limites de 5,8% do orçamento do Ministério da Educação, que em seguida procedeu ao bloqueio nos orçamentos das universidades federais e institutos de pesquisa. A UFAM reafirma o compromisso com as atividades de ensino, pesquisa e extensão e anuncia que todas as ações e medidas serão tomadas visando à manutenção da instituição.

Vacinação negativa

Pais e responsáveis simplesmente ignoraram a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite em Manaus. Os índices da Semsa indicam que a imunização alcançou apenas 58,29% das crianças de 1 ano de idade a menores de 5 anos, quando a meta era 95%. Não adiantou nem bater de casa em casa. Lamentável.

Indústria da estrada

Os deputados estaduais do Amazonas levantaram o tema do desabamento da ponte sobre o rio Curuçá na reunião desta quarta-feira, demonstrando vários aspectos que precisam ser esclarecidos. Serafim Corrêa (PSB), por exemplo, criticou o que chamou de “indústria da manutenção da estrada”, que mantém sempre as mesmas empresas do Paraná na manutenção de uma estrada que praticamente não existe. “Precisamos investigar quem ganha com o fato da BR-319 continuar há 40 anos intrafegável”, disse ele.

CPI para investigar

Já o deputado Sinésio Campos (PT) sugeiru logo uma CPI para investigar responsabilidades sobre a queda da ponte, uma vez que o DNIT sabia que a estrutura estava danificada. “O fato gerador para abertura de uma CPI são as vidas ceifadas”, afirmou.

Modal mais barato

Para o deputado Abdala Fraxe, é preciso esclarecer também “essa história de que o setor de transporte fluvial não quer permitir que a estrada seja concluída”. Segundo ele, o transporte fluvial e marítimo sempre será mais barato que o rodoviário ou ferroviário.

Rodoviária lá longe

Levantamento feito pela Defensoria Pública em agosto – e só divulgado agora – aponta que 95% dos entrevistados – usuários, trabalhadores, comerciantes da rodoviária velha localizada na avenida Djalma Batista – rejeita a mudança para o bairro Lago Azul. Os motivos são vários: a nova rodoviária ficaria em zona perigosa e isolada da cidade, as empresas de ônibus têm garagens consolidadas próximo à rodoviária velha, os passageiros consideram longe demais e outros motivos.

Tendência mundial

A transferência das rodoviárias para locais próximos às rodovias mais acessadas é uma tendência urbanística que está sendo implantada há mais de 10 anos na maioria das cidades brasileiras. No caso de Manaus, além de uma nova estrutura física, a retirada da rodoviária pode ajudar no fim do estrangulamento do trânsito que vive aquele trecho da Djalma Batista.

SIGA O PORTAL ÚNICO:
https://portalunico.com

Facebook:
Facebook.com/portalunico.com

Instagram:
https://instagram.com/portalunico?utm_medium=copy_link

Twitter:
https://twitter.com/PortalUnico?t=5LAn7TYhr43mFX0LTFQ2wA&s=09

FALE CONOSCO

Solange Elias (EDITORA)
(92) 99105-7388

Guilherme Martins (TI/COMERCIAL)
(92) 98638-5707

CEO: Claudio Barboza
(92) 99116-1777


Compartilhe >
Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *