Pastor investigado por trabalho escravo em Itacoatiara

Ele administra instituição de tratamento de dependentes químicos

Polícia Federal investiga maus tratos e exploração

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (27) a Operação Cativos, com o intuito de reprimir crimes de trabalho análogo à escravidão em um instituto destinado à recuperação de dependentes químicos, no município de Itacoatiara (a 270 km de Manaus).

Condições degradantes

Em nota distribuída hoje, a Polícia Federal informou que os responsáveis pelo instituto estavam os internos “a condições degradantes de higiene, sem alimentação adequada e a trabalhos forçados, além de realizarem a exploração da imagem deles em “lives” realizadas por meio das redes sociais com o objetivo de obter engajamento e recursos financeiros de doadores”.

Pastor é investigado

O alvo foi identificado como o pastor Arison Aguiar, conforme a Polícia Federal. Durante a manhã, os policiais estiveram na casa dele e, depois, seguiram para a sede feminina do instituto. Ele foi intimado a depor, mas não foi preso.

A Operação Cativos também conta com a participação do Ministério Público do Trabalho, do Ministério do Trabalho e da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (SEJUSC), conforme a Polícia Federal.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *