fbpx
Partido Político: Aquilo que é e não o que gostaria que fosse

Coluna:

Por: Ademir Ramos

É professor, antropólogo, coordenador do projeto jaraqui, do NCPAM/UFAM vinculado ao Dpto. de Ciências Sociais.

Partido Político: Aquilo que é e não o que gostaria que fosse

dcf5346c-d185-4723-be0b-51a5bdd7ada8

Não adiante o grito dos tarefeiros ou muito menos a dissimulação dos adesistas. O partido político é uma estrutura que se qualifica pela sua organização estruturante fundada num determinado programa propositivo capaz de agregar força política centrada na competência e habilidade em torno de uma determinada liderança seja comunitária, étnica, estudantil, de gênero, trabalhista, político profissional, local ou nacional.

Partido sem voto é como carro sem motor. Por esta razão de imediato deve-se conferir a potencia de sua força quanto à sua capilaridade organizacional estatutária nos termos da legislação pertinente, resultante do compromisso de sua direção moral, política e programática e botar esta máquina para funcionar a contento catalisando as demandas populares.

A direção do partido deve selar pela sua organização legal, financeira e estratégica tal como fosse uma plataforma de sustentação as candidaturas, oferecendo as condições materiais para incentivar cada vez mais a competitividade dos convencionais nas disputas eleitorais indicando os meios necessários, bem como, aferindo o rendimento dos disputantes em relação aos seus concorrentes.

Nesta circunstância vale e muito as determinações partidárias quanto à sua prática programática enquanto orientação de sua direção na definição de estratégia competitiva para se ganhar as eleições.

No momento, os partidos sejam de direita, centro ou esquerda estão correndo atrás de nomes competitivos para montar um timaço para as próximas eleições de olho no calendário eleitoral. Como a maioria não tem “time de base” vai ter que que agregar a legenda a determinada candidatura que julgamos ser competitiva.

No entanto, se o partido não inspirar confiança, credibilidade e muito menos oferecer viabilidade operacional para as candidaturas tenho absoluta certeza que a vontade da direção ou de seus tarefeiros não prosperará ante à realidade objetiva de uma disputa de grande monte para as eleições majoritárias e proporcionais.

E assim sendo, claudicante ou vacilante, seja como for, o partido deve se perder no labirinto de suas especulações convertendo a esperança no ocaso porque o jogo começa muito antes da disputa nas urnas.


Os artigos publicados com assinatura não traduzem necessariamente a opinião do ÚNICO.

Qual sua Opinião?

Confira Também

O desaparecimento de três jovens de um bairro de Manaus

Eles sumiram no ano de 2016 quando voltavam de uma festa Foram abordados por uma viatura da polícia e nunca mais foram vistos Três jovens que voltavam de uma festa, foram abordados por uma viatura da polícia e desapareceram sem deixar vestígios. Essa é a história que Maíra Menezes conta no vídeo desta semana, como uma mais conteúdo da série Crimes e Visagens.

Leia Mais

Candidaturas femininas no Amazonas superam em 1% o total nacional

Em todo o país, as mulheres representam 33% das candidaturas, contra 67% dos homens Conheça quem são as mulheres nas disputas majoritárias neste ano Ricardo XavierPara o Portal ÚNICO A um dia do encerramento do prazo para o registro dos candidatos para as eleições deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já registra que 67% das candidaturas de todo o país são compostas pelo gênero masculino e 33%, pelo feminino. No Amazonas, a diferença é de apenas um ponto percentual, em relação à nacional, com 66% de homens e 34% de mulheres candidatos. Esses números ainda não são definitivos, porque

Leia Mais

Prefeito de Rio Preto da Eva desapropria terreno de R$ 2,8 milhões a “preço de banana”

Proprietários denunciam subvalorização, humilhação e “expulsão” de sua casa Prefeito foi pessoalmente com a polícia cumprir liminar de despejo da família (vídeos) Solange EliasPara o Portal ÚNICO A proprietária de um terreno localizado na entrada de Rio Preto da Eva (a 81 km de Manaus), Elany Celeste Costa Mouriere, pessoa doente e com uma prótese no crânio, foi despejada de seu imóvel, junto com seus familiares, na última sexta-feira (12), pelo prefeito do município, Anderson de Sousa (PP), que foi pessoalmente cumprir ordem emitida pelo juiz da comarca, Carlos Henrique Jardim da Silva, em forma de liminar. A dor de

Leia Mais