fbpx

Organizações indígenas se articulam para ocupar cargos

Univaja está buscando um nome de consenso para o Vale do Javari

Apiam sugere dois nomes para Lula para o comando da Funai-AM

Valéria Costa
Correspondente

Solange Elias
De Manaus

Brasília (ÚNICO) – Depois das exonerações dos militares que ocupavam cargos-chaves na Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) em várias regiões do país e da sinalização do Ministério dos Povos Indígenas em nomear gestores, de preferência indígenas, as organizações representativas dos povos originários do Amazonas estão em mobilização para fazer suas indicações e assumir o protagonismo nos programas de atendimento às suas realidades.

Univaja

A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), no Amazonas, está promovendo debates internos para definir nomes de consenso para ocupar os cargos da coordenação regional da Funai, instalada no município de Atalaia do Norte (a 1.136 km de Manaus) e para o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), naquela região. A informação foi confirmada ao ÚNICO pelo membro do movimento, Beto Marubo.
A região concentra 7 etnias, além de tribos isoladas numa população estimada de mais de 6 mil indígenas divididos entre os municípios de Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Jutaí e São Paulo de Olivença.

Apiam

Já em Manaus, a Articulação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas (Apiam) apontou os nomes da enfermeira Vanda Witoto e do pedagogo Emilson Munduruku para assumir a Coordenação Regional da Funai, em Manaus. Os dois nomes já estão na mão do ministro da Casa Civil, Rui Costa.

Secretaria indígena

As organizações iniciam também movimento de articulação para reivindicar a criação de uma Secretaria Estadual dos Povos Indígenas, nos moldes da criada pelo governador do Pará, Helder Barbalho, mas por enquanto não chegaram a um consenso.
De um lado há avaliações de que uma fundação – como o FEI, que já existe – é uma opção melhor que uma secretaria. Quem está comandando esta pauta e os debates é a Federação das Organizações Indígenas do Alto Rio Negro (Foirn), capitaneada por Marivelton Baré.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *