WhatsApp Image 2022-08-30 at 08.29.13
A arte de armar redes

Por: João Melo Farias

João Melo Farias Poeta e indigenista.

Operação Mamuru

Uma Operação de Fiscalização foi deflagrada nesta semana pela Marinha do Brasil, Polícia Federal, IBAMA, ICMbio e FUNAI, em resposta as inúmeras denúncias de exploração ilegal de madeira, feita pelos indígenas da etnia Saterê-Mawe e suas Organizações encaminhadas ao MPI; e o Coletivo em Defesa do rio Mamuru ligado a Comissão Pastoral da Terra endereçadas ao Ministério Público Federal/MPF, neste semana nas calhas dos Rios Mamuru e Uaicurapá na fronteira entre Amazonas e Pará.

O objetivo é fiscalizar as atividades de vários Projetos e Planos de Manejo de madeira instalados na região. Balsas, barcos e empresas madeireiras que exploram a madeira na região estão sendo abordadas pela fiscalização.

A Operação é uma forma de proteger e garantir a integridade da fronteira leste da Terra Indigena Andirá-Marau e seu entorno anti o avanço da grilarem de terras, da exploração ilegal de madeira e possíveis garimpos ilegais.

A realização da presente Operação é resposta às constantes denúncias e reclamações de indígenas e ribeirinhos diante da enorme quantidade de balsas carregadas de madeira, que saem da região do Rio Mamuru, descem o Paraná do Ramos até o Amazonas.

5 agentes do IBAMA, 6 da Polícia Federal, incluindo Delegado e Escrivão, Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil e 2 servidores da FUNAI (Parintins e da CR Manaus) participam da Operação embarcados no Navio Patrulha “Raposo Tavares” da Marinha do Brasil. A presença das Instituições acima envolvidas na presente Operação garante a integridade e a proteção da fronteira leste da TI Andira Marau, principalmente, a parte que incide o território do Estado do Pará.


Qual sua Opinião?

Confira Também