Nova operação da Polícia Federal bloqueia R$ 30 milhões em bens de empresários de Manaus

Operação Dente de Marfim mira na sonegação de impostos na coleta de lixo da capital

Prefeitura divulga nota confirmando colaboração com a PF

Desde a madrugada desta quinta-feira (22), agentes da Polícia Federal, Receita Federal e do Ministério Público Federal estão cumprindo 16 mandados de busca e apreensão em Manaus, nas casas de empresários, escritórios de advocacia e agentes públicos, buscando documentação que comprove um esquema de sonegação de impostos na coleta de lixo da capital.


Eles estiveram na casa do empresário Cirilo Anunciação e também na residência do secretário municipal de Limpeza Pública, Sabá Reis.


Ao todo, foram bloqueados bens no valor de R$ 30 milhões, de 34 pessoas físicas e jurídicas, com apreensão de relógios e barcos e carros de luxo. Não houve prisões nessa operação.

Entrevista coletiva

Em entrevista coletiva, os delegados chefe da Operação Dente de Marfim – nome que remete a uma das empresas investigadas, a Mamute Conservação, Construção e Pavimentação Ltda, do empresário Cirilo Anunciação – explicaram que as apreensões de documentos, computadores e outros registros estão buscando confirmar a suspeita da sonegação milionária.

Agentes públicos

O delegado da Polícia Federal contra corrupção e crimes financeiros, João Marcelo Uchòa, confirmou que há possíveis atuações de agentes públicos nos esquemas de favorecimento das empresas. “Não podemos citar nomes, mas há indícios de troca de favores, nomeação de parentes em secretaria municipal e pagamentos a gestores da mesma secretaria”, disse ele, citando que desde 2016 o esquema foi iniciado.

Delegado da PF, João Marcelo Uchôa (de terno escuro) e delegado da Receita Federal, Eduardo Badaró, durante entrevista coletiva (Foto: Reprodução/Internet)

Operações semelhantes

Segundo os delegados, embora tenha praticamente o mesmo foco, a Operação Dente de Marfim não é a mesma Operação Entulho, deflagrada no início da semana. Na operação desta quinta, são investigados os crimes de sonegação fiscal, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e corrupção.
A Operação Dente de Marfim é o resultado de um relatório financeiro da Receita Federal, que apontou indícios de irregularidades ligadas a um escritório de advocacia e contratações públicas.

Nota da Prefeitura

Após a entrevista coletiva, a Prefeitura de Manaus divulgou nota informando que apoia “de forma irrestrita, as investigações conduzidas pela Polícia Federal no âmbito da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp)”. Segundo a nota, “os fatos investigados são relacionados a uma empresa cujo contrato foi firmado pela gestão anterior, porém desfeito pela atual administração municipal”.
“Prezando pela total transparência, a prefeitura prestará todas as informações necessárias para a apuração”, conclui.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *