fbpx

Nível do rio Negro chega a 29,73 e se aproxima da terceira maior cheia da história

Faltam apenas quatro centímetros para igualar o recorde do ano de 2009

Prefeitura de Manaus interdita ruas e constroi pontes e passarelas

Subindo uma média de dois centímetros por dia na última semana, o rio Negro está perto de registrar o mesmo nível da terceira maior cheia da história em Manaus, quando a cota chegou a 29,77m acima do nível do mar, no ano de 2009. Nesta sexta-feira (17) a cota indicada pelo Porto de Manaus é de 29,73m, faltando apenas quatro centímetros para a marca recorde daquele ano.
A subida acelerada e constante das águas desde o dia 7 de maio, quando a cota ultrapassou a marca da inundação severa (29m), colocou Manaus na lista das cidades em emergência e está mudando a paisagem no centro da capital, com a instalação de pontes, passarelas e interdição de ruas..

Ruas interditadas

Desde maio, a rua dos Barés e a Barão de São Domingos, no entorno da Feira Manaus Moderna, estão com trechos interditados e as feiras receberam tablados e passarelas sobre as águas que invadiram as instalações.Também já foram interditadas duas alças inferiores da ponte dos Bilhares também foram interditadas. Segundo o IMMU, o bloqueio tem o intuito de garantir a segurança do tráfego ao constatar que o nível da água da enchente do igarapé do Mindu está comprometendo a circulação nesse sentido.

Mudanças no centro

Nesta semana, a Prefeitura de Manaus começou a instalação de pontes e passarelas na avenida Eduardo Ribeiro, no trecho do Relógio Municipal, no centro histórico. O acesso de permissionários, lojistas e clientes está comprometido e o trânsito na área foi interditado.
“As águas do rio Negro ainda devem subir um pouco mais, o que vai tornar inviável o acesso a essa área do Centro, sem as passarelas. A subida do nível do rio é um fenômeno da natureza e não pode ser controlado, mas a circulação das pessoas, nas áreas inundadas, isso a prefeitura pode garantir”, observou o secretário-executivo da Defesa Civil, coronel Fernando Júnior. Segundo ele, a avenida Eduardo Ribeiro vai receber mais de 200 metros de pontes.

Bairros

Ainda segundo a Defesa Civil, mais de 7.500 metros foram erguidos em 15 bairros já afetados pela cheia, impactando ao menos 2.800 famílias, incluindo comunidades da zona rural, que já estão sendo atendidas pela gestão municipal.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.