Mulher trans indígena é morta por causa de “fake news”, em Parintins

Ela foi acusada de estuprar uma criança

Exames periciais indicaram que a criança não foi molestada

Uma mulher trans, indígena da etnia Sateré-Mawé, foi assassinada em Parintins (A 369 km de Manaus), no final da semana, por conta de uma acusação falsa de estupro de uma criança de 5 anos. A mulher foi identificada como Jéssica Hadassa, de 28 anos.

Mensagens de aplicativos

A acusação a Jéssica Hadassa viralizou nos aplicativos de mensagens, com sua foto anexada. Após essa acusação, ela foi morta a tiros.
A criança foi submetida a exames de conjunção carnal, mas o resultado não apontou o ato sexual.
A polícia investiga a autoria do crime.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *