MPAM investiga postos suspeitos de combinar preço do combustível

Pesquisa do Procon embasou pedido de inquérito

Postos tem 15 dias para se manifestar

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) abriu investigação para apurar a conduta de 55 postos de combustível em Manaus com suspeita de combinação de preços, prática que é considerada crime contra a ordem econômica.

A 81ª promotoria de Justiça Especializada na Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Prodecon) se embasou em pesquisa feito pelo Programa Estadual de Proteção e Orientação do Consumidor (Procon Amazonas) de 2023.

“Consta nas planilhas de pesquisas semanais de preços elaboradas pelo Procon-AM, por exemplo, o uso de valores idênticos para o litro da gasolina comum, como
R$ 5,99 e R$ 6,59, mas em postos diferentes em vários bairros da capital”, afirma a promotora de Justiça Sheyla Andrade.

Os postos de gasolina arrolados no inquérito tem prazo de 15 dias para manifestação.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *