fbpx

Minha vizinha acabou com meu casamento

Toda vez que eu chegava na piscina ela tava lá. Corpo estirado, pernas de dar vontade de sair beijando e uma bunda toda impinada. Como eu ia com meus filhos, disfarçava de óculos escuros para contemplar o monumento. Não tinha nem 20 anos, o que vim a saber depois. Nesses primeiros momentos ficou nisso.

Toda vez que eu chegava na piscina ela tava lá. Corpo estirado, pernas de dar vontade de sair beijando e uma bunda toda impinada. Como eu ia com meus filhos, disfarçava de óculos escuros para contemplar o monumento. Não tinha nem 20 anos, o que vim a saber depois. Nesses primeiros momentos ficou nisso.


Numa determinada semana esbarrei com a musa no elevador. Tava num short apertadinho e uma camiseta generosa, que deixava amostra um par de seios na medida certa. Deixei até o celular cair na hora e ela, riu do meu descontrole. Perguntou o que eu fazia e enchi a boca pra dizer ser empresário, imaginando as peripérciaseu que eu fazia para manter uma pequena empresa de alimentação aberta.


Além do sábado, passei a frequentar a área de piscina nas noites de semana. Havia descoberto que ela costumava nadar em alguns horários. Fiquei na tocaia e não deu outra. Tal qual uma miragem certa noite ela apareceu. Linda num biquíni, mínimo, todo branco. Fiquei doido e naquela noite resolvi que ia partir pra cima.


Aos quarenta e pouco, seis anos de casado e dois filhos, fui em frente. Ela nem pareceu ligar se eu era casado. No meio da conversa, disse que estava com muita vontade de ir a um show mas com carinha de inocente, disse que estava sem companhia. Era o que eu esperava. De cara peguei todas as informações do show, peguei o número do celular dela e falei que ela não ia perder o espetáculo.


E não perdeu mesmo. Marcamos num barzinho mas dei uma desculpa que não podia entrar. Fiquei fora esperando. Ela chegou no carro pra acabar, como diz um amigo. Saia curtinha, mini blusa com os cabelos loiros soltos à altura dos ombros. Cá comigo pensei. Hoje me acabo, pensando nas duas azulzinhas tomadas antes de sair de casa. Tive que construir a maior história pra poder escapar na sexta. Amigos de escolas que não via há muito tempo…reunião para ajudar um colega da turma muito doente…por aí…ela sentou ao lado com o mais delicioso perfume e me deu um beijinho no rosto. Fiquei animado.


Na chegada ao show, uma fila legal mas eu havia comprado pra setor vip e passamos rápido. Aliviado percebi que o público era muito jovem. Não deveria encontrar ninguém das minhas relações…foi o que imaginei…mas ao entrar na dita área vip, o mundo desabou,a primeira pessoa que vi me encarando era a minha cunhada com o marido. A noite acabou ali. Voltei cedo pra casa mas encontrei a mala e umas sacolas na porta de fora do apartamento.

C.P.Lima

Se você quer compartilhar a sua história aqui no espaço Sem Fronteiras/Portal Único, envie email para [email protected]

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.