Laudo confirma que fã de Taylor Swift morreu de calor

IML do Rio de Janeiro atestou “exaustão térmica”

Morte gerou regras para hidratação em eventos de massa

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – Laudo do Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro aponta que a causa da morte de Ana Clara Benevides, de 23 anos, foi “exaustão térmica por exposição difusa ao calor”. A jovem passou mal no show da cantora Taylor Swift, no dia 17 de novembro, no Estádio Nilton Santos, conhecido como Engenhão, na zona norte do Rio de Janeiro.

O que diz o laudo

Assinado pelo perito legista Reginaldo Franklin Pereira, o documento contextualiza que a cidade enfrentava uma “intensa onda de calor” com condições extremas de temperaturas (temperaturas de até 50º C).

O laudo acrescenta que Ana Clara “não apresentava manifestação cutânea de raios solares”, ou seja, não houve exposição direta ao sol.

A conclusão do perito foi de que a exposição ao calor difuso causou exaustão térmica “com quadro hemodinâmico (choque), cardiovascular e comprometimento grave dos pulmões, e morte súbita”.

Assim como o exame toxicológico teve resultado negativo.

Leis que facilitam a hidratação

Depois da morte de Ana Benevides, o Governo Federal publicou uma portaria que obriga a distribuição gratuita de água em shows, festivais e quaisquer eventos de grandes proporções realizados em dias de calor, com altas temperaturas.

No Amazonas, em 2019 a Assembleia Legislativa aprovou uma lei da deputada Alessandra Campêlo, que autoriza a entrada com água em eventos de massa. A Lei 4.782 prevê que “
“Ficam os estabelecimentos que promovem atividades de caráter cultural, esportivo ou de lazer obrigados a permitir a entrada em suas dependências, de consumidor portando alimentos e bebidas adquiridos em outros estabelecimentos”.

Em seu segundo artigo, a lei aponta em que locais:: “cinemas; teatros; museus; parques de diversão; circos; casas de show; sambódromo; bumbódromo; estádios; ginásios; locais de evento público ou privado; e estabelecimentos assemelhados”.

Com informações da Agência Brasil


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *