“Julho Dourado”: mês de alerta sobre cuidado com pets

Campanha é voltada para os tutores dos bichinhos de estimação

Objetivo é reforçar a importância da vacinação nos animais

O cuidado com nossos melhores “amigos” ganha foco em julho, mês dedicado à conscientização sobre a vacinação nos animais de estimação.

A campanha, prevista em Lei Estadual aprovada na Assembleia Legislativa do Amazonas em 2023, recebe o nome de Julho Dourado e alerta os tutores a respeito da imunização de seus cães e gatos, como forma de prevenção, além de incentivar a doação de animais abandonados.

O Julho Dourado traz ações de reflexão e promoção de eventos sobre a saúde de animais de rua e domésticos, além da importância da prevenção de zoonoses.

Cães e gatos

Atualmente, o Brasil ocupa o 3° lugar no ranking mundial com mais pets no mundo, totalizando uma população de 167,6 milhões de animais de estimação.

Os dados mais recentes são de 2022 e mostram que 68 milhões são cães, 42 milhões são aves e 34 milhões são gatos. Há ainda 22 milhões de peixes ornamentais e 2 milhões de outros, como coelhos e roedores.

O levantamento é da Euromonitor International (líder mundial em pesquisa de estratégia para mercados consumidores) e publicado no site da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet).

Campanha de conscientização

Assim como no Amazonas, vários estados brasileiros já instituíram o mês Julho Dourado em suas leis estaduais para estimular que nesse período sejam feitas campanhas de conscientização e eventos abordando a importância da saúde dos animais, cuidados com a higiene, prevenção de doenças, alimentação, vacinação e consultas regulares com o veterinário, além da adoção de pets abandonados.

A campanha também prevê a divulgação dos preceitos contidos na Declaração Universal dos Direitos dos Animais da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A declaração da ONU considera que cada animal tem direito ao respeito; que o homem não tem o direito de exterminar os outros animais, ou explorá-los; que cada animal tem direito à consideração, à cura e à proteção do homem e que o abandono de um animal é um ato cruel e degradante.

Zoonoses

Além de combater a crueldade contra os animais, a campanha também destaca o risco das zoonoses, as doenças infecciosas transmitidas entre animais e pessoas, por bactérias, vírus, parasitas ou agentes não convencionais, seja por meio do contato direto ou via alimentos, água ou meio ambiente.

As zoonoses mais conhecidas são raiva, esporotricose, leishmaniose, zika e criptococose, por exemplo. Uma das melhores formas de prevenir as zoonoses é através da vacinação dos animais domésticos.

Contra o abandono

O Julho Dourado destaca também que o abandono de animais é um dos fatores que contribuem para a proliferação de zoonoses no Estado. A situação se agrava quando causa outros problemas como acidentes de trânsito, sujeira, ataques às pessoas nas ruas, entre outros. Pensando nisso, a legislação ainda estabelece campanhas de adoção de animais em situação de rua.

No Brasil, o abandono de animais é crime desde 1998, de acordo com a Lei Federal 9.605/98.

Com informações do Portal Banda B


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *