Juiz absolve Paola e diz que não há provas contra Alejandro Valeiko no homicídio do engenheiro Flávio

Decisão absolve também o réu José Edvandro Martins de Souza

Ministério Público diz que vai recorrer

O juiz Celso Souza de Paula, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Manaus, decidiu que não há provas suficientes do envolvimento de Alejandro e Paola Valeiko no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues, ocorrido em 2019. Os dois são filhos da ex-primeira dama de Manaus, Elizabeth Valeiko. A sentença foi proferida na sexta-feira e divulgada hoje (20).
Os demais acusados, Elizeu da Paz de Souza e Mayc Vinicius Teixeira Parede, serão levados a júri popular e José Edvandro Martins de Souza também foi absolvido.
Segundo a sentença, “(…) o conjunto probatório amealhado durante a fase de investigação e apresentadas durante a ação penal, não comprovam, em momento algum, os necessários indícios suficientes de autoria delitiva do acusado Alejandro, sem qualquer imputação precisa e da relevância de sua omissão para a criação do risco e do resultado posterior, tal qual exige o art. 13, § 2º, do Código Penal. Dessa forma, resta evidente ser caso de impronúncia do corréu Alejandro Molina Valeiko […], em razão da falta de demonstração dos indícios suficientes de autoria delitiva”. Entretanto, o processo poderá ser reaberto contra ele caso surjam novas provas.

Absolvição sumária

Sobre Paola Valeiko, o juiz decidiu pela absolvição sumária por entender que “não houve dolo na sua conduta”. “Necessário verificar a ausência de qualquer conduta tipificada como crime, portanto, o fato é totalmente atípico, especialmente porque ausente de dolo em sua conduta, legitimando o comando de sua absolvição sumária, nos termos do art. 397, III, do Código de Processo Penal”, decidiu o juiz.

Ministério Público emite nota

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), autor das acusações, emitiu nota logo após a divulgação da sentença, informando que “ainda não foi formalmente intimado da referida decisão e somente após examinar a fundamentação da sentença é que deverá se posicionar oficialmente sobre o caso devendo ingressar com o recurso cabível no prazo legal”.

O caso

O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko. Segundo a polícia, os amigos estavam na casa de Alejandro Valeiko bebendo e usando drogas. De repente, começou uma discussão, seguida de agressões com facas. O engenheiro Flávio dos Santos foi esfaqueado e morreu.
De acordo com as investigações, o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e seria segurança de Alejandro, estava dirigindo um carro alugado da Prefeitura. A polícia diz que o PM Elizeu de Souza foi até o condomínio, colocou o corpo no carro da Prefeitura de Manaus e saiu do local da festa.
Lutador de MMA, Mayc Parede confessou sua participação no crime ao ser preso em 2019, alegando ser o culpado pelas facadas desferidas na vítima. Ele aparece em vídeos de segurança dando entrada no condomínio onde ocorreu o crime.

Com informações do G1


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *