Infovia vai ampliar atendimento médico no telessaúde, diz ministra

Hospitais e UBS em cinco municípios do Amazonas serão beneficiados

Médicos especialistas poderão atender pacientes em locais remotos

Brasília (ÚNICO) – O Ministério da Saúde anunciou a ampliação do acesso à telessaúde em dez municípios dos estados do Pará e Amazonas. A estratégia foi viabilizada a partir da Infovia 01, inaugurada nesta segunda-feira (7) pelo presidente Lula. Segundo a ministra da Saúde, Nísia Trindade, a infovia vai permitir novas ações de telessaúde, para atendimento especializado nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Parintins, Urucurituba, Itacoatiara e Autazes, no Amazonas, e Curuá, Óbidos, Oriximiná, Juruti e Terra Santa, no Pará.

O programa Norte Conectado conta, no total, com oito infovias que irão atender 59 municípios nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima.

Exemplo de Urucurituba

Com a nova conexão, os municípios que já contavam com a internet via satélite terão melhor conectividade a partir de agora, permitindo, por exemplo, o envio de imagens em alta resolução, fundamental para a análise dos exames de pelos especialistas.

Segundo a ministra Nísia Trindade, o município de Urucurituba (a 207 km de Manaus), já realizou mais de 50 teleconsultas com a conexão gerada pela Infovia 01 em menos de um mês. “É a primeira vez que os cerca de 20 mil habitantes do local têm contato com os atendimentos por telessaúde”, disse ela.

Marco na conectividade

Para Nísia Trindade, a Infovia é um marco da conectividade com maior velocidade e qualidade a serviço da saúde. “Quando nós falamos de transição digital, falamos, hoje, de inclusão digital, para levar acesso à internet àquelas pessoas que não tem. Com isso, será possível conectar as Unidades Básicas de Saúde da região, fortalecendo, assim, o trabalho da Atenção Primária”, ressaltou.

Desafios geográficos

Por meio da consulta de um especialista à distância e com o uso do telediagnóstico, por exemplo, o tratamento dos pacientes será mais resolutivo. Nas regiões dos estados do Amazonas e Pará, o tempo médio de deslocamento para atendimento médico especializado pode chegar a 24 horas de barco e chega a gerar um custo de até R$ 80 mil por trecho quando feito de avião. A expansão da saúde digital é essencial para superar esses desafios geográficos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *