R4vxaaAy_400x400
GOVERNADOR E PREFEITO QUEREM METER A MÃO NA BUFUNFA DO POVO

Por: Ademir Ramos

Professor, antropólogo, coordenador do projeto jaraqui, do NCPAM/UFAM vinculado ao Dpto. de Ciências Sociais.

Igreja tem lado

1329664061_690_cruz_18_pjtpresbiterio_picture

As Igrejas cristãs atuam em diversas frentes de trabalho através de suas práticas pastorais. Embora, historicamente, sejam diferentes entre elas tanto os católicos quanto os Evangélicos almejam a contemplação de Deus Pai aqui e agora, bem como também, junto à morada celestial sob a benção do Cristo libertador.

Em se tratando da Igreja católica o processo organizacional é mais intenso com uma abrangência muito maior centrado num lugar de competência capaz de ler o mundo com os óculos de uma doutrina social motora de uma política salvífica – libertária capaz de unificar força contra os pecados do mundo, seus atores e sistemas.

Nessa circunstância, a prática pastoral é sem dúvida uma intervenção política que deve necessariamente está em consonância com o projeto contra a desigualdade social se celebramos a partilha do pão; contra a exploração do trabalho e toda e qualquer forma de exclusão social se cremos na unidade comunal tendo por epicentro a celebração Eucarística contrária a discriminação, a fome e toda e qualquer modo de abandono social dos filhos e filhas de Deus.

As Igrejas e seus atores estão no mundo sujeito as intempéries, vícios e privilégios. Nesse universo de Fé e Esperança às vezes comportam-se imputando ao outro e até aos Céus responsabilidades que são suas. Esta sintomática ocorre quando embrutecidos divorciam-se do corpo místico de Cristo ignorando concretamente a Igreja viva e os seus anseios populares a reclamar por direito e Justiça Social.

Assim como o peregrino faz o seu caminho marchando em direção ao seus ideais. O cristão também ungido por sua fé enquanto sujeito de relação inserido numa determinada sociedade comunal participa ativamente das ações solidarias e fraternas como fermento na massa qualificando seus atos na perspectiva de explicar e justificar as razões da fé assentada num projeto sustentável de ecologia integral em intenso diálogo com o meio ambiente.

Fé e Política estão aliançadas, sobretudo, quando trabalhamos em favor de um mundo possível – socialmente justo. A opção preferencial pelos pobres feita pela Igreja Católica mostra que esta Igreja tem lado e dessa forma busca arrebatar aliados solidários que possam contribuir honestamente para que o Evangelho semeado nos corações e mentes transformem os filhos de Deus em profetas capazes de anunciar a Boa Nova e denunciar os males e os vendilhões do povo promovendo mudanças e transformações sociais aqui e agora.

Qual sua Opinião?

Confira Também