Ibama passa o “pente fino” em Itacoatiara e flagra pesca de quelônios e peixes no defeso

Espécies estavam abaixo do tamanho permitido (ver o vídeos)

Operação Tabuleiro vai ser realizada durante todo o período do defeso

Alessandra Luppo
Da redação do ÚNICO

O Ibama do Amazonas divulgou balanço da Operação Tabuleiro 2, realizada em Itacoatiara nesta semana, apontando que foram flagrados crimes ambientais de pesca de quelônios – que é proibida por lei – e ainda de peixes que estão protegidos pelo período de defeso e também com tamanho inferior ao que é permitido capturar.

O superintendente do órgão, Joel Araújo, explicou que a operação decorre da forte estiagem, que acabou por facilitar a pesca predatória de animais protegidos.

Apreensões e multas

Durante a operação, realizada nas comunidades de São João do Araçá, São Tomé, Santa Tereza, Santa Rosa e Monte Cristo foram vistoriadas embarcações, flutuantes e veículos automotores que trabalham com a atividade de pesca, sendo flagrados a captura de alguns quelônios que integram a lista de espécies ameaçadas – cujo valor da multa é de R$ 5 mil, por unidade ou por ovo. A multa foi de R$ 20 mil.


Em uma camionete, foram flagrados 700 kg de pescado abaixo do tamanho mínimo permitido, sendo 600 kg de surubim com comprimento inferior 80 cm; 50 kg de aruanã com comprimento inferior a 44 cm e 50 kg de tucunaré com comprimento inferior a 25 cm. O peixe foi doado imediatamente na comunidade São João do Araçá e a camionete foi apreendida. A multa foi lavrada no valor de 15 mil reais.


Em outra abordagem a equipe encontrou um flutuante na mesma situação, com mais de 140 kg de Surubim com tamanho inferior a 80 cm de comprimento, que também foi doado e o infrator foi multado em 4 mil reais.

Pirarucu

Segundo Joel Araújo, a operação visa “apoiar o manejo do pirarucu e quelônios feitos pelas comunidades na região” e promover o monitoramento e controle nas áreas de manejo da região. Ele informou ainda que o período de defeso do tambaqui, que começou em outubro, só termina em 31 de março de 2024, da matrinxã, pirapitinga, sardinha, pacu, aruanã e mapará que começa no próximo dia 15.11 e também vai até março.


Quanto ao pirarucu, a pesca é proibida o ano todo, sendo permitida somente em áreas manejadas com autorização do ibama. Devido ao período do defeso a operação não tem data prevista para terminar


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *