Ibama fiscaliza impacto ambiental no Linhão de Tucuruí

Agentes vistoriam mais de 700km de extensão

Órgão avalia retirada das árvores onde vai passar a linha de transmissão

Analistas Ambientais da Diretoria de Licenciamento Ambiental do Ibama, realizaram uma vistoria técnica de acompanhamento das obras de implantação da Linha de Transmissão de energia elétrica Manaus – Boa Vista, um braço do Linhão de Tucuruí.


“Trata-se de um projeto desafiador para o licenciamento ambiental, em virtude da sua localização na região Amazônica e interferência em áreas com regime especiais de proteção, como a Terra Indígena Waimiri Atroari”, apontou o superintendente do Ibama/AM, Joel Araújo.

Seguindo a rodovia

O traçado aprovado pelo Ibama buscou o paralelismo com a Rodovia BR-174, a fim de evitar a abertura de novos acessos e novas frentes de desmatamento na região. Depois da primeira avaliação, novas fiscalizações já estão sendo programadas.

A linha de transmissão

O empreendimento possui 721 km de extensão, tem como objetivo principal a interligação do estado de Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN). “É um projeto estratégico para a qualidade de vida e segurança energética para as pessoas em Roraima.”, destacou Araújo.

O que foi fiscalizado

A vistoria avaliou a supressão de vegetação nativa, necessárias para a instalação do projeto, e as respectivas medidas de prevenção e mitigação de impactos, exigidas no licenciamento ambiental.
Como exemplo, o resgate de germoplasma vegetal (conjunto de amostras para estudos) e ações de afugentamento e resgate de fauna, que devem ser executadas antes, durante e depois da abertura das áreas.

Cavernas encontradas

Segundo o Ibama divulgou, no trecho vistoriado foram encontradas quatro cavidades naturais subterrâneas (cavernas) que, dependendo dos impactos que podem sofrer, será necessário alterar o traçado do linhão.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *