Hospital Einstein inaugura Centro de Inovação em Manaus

Unidade terá projetos de pesquisa em tecnologia

Projetos serão apoiados pela Lei de Informática na Amazônia

O Hospital Einstein inaugurou nesta quarta-feira (17) seu Centro de Inovação em Manaus. O novo espaço reafirma o compromisso da organização em impulsionar a equidade por meio de pesquisas e do desenvolvimento de tecnologias que levem mais acesso e qualidade à saúde e atendam, principalmente, às necessidades locais.

A unidade terá como foco desenvolver projetos de inteligência artificial, telemedicina e big data, por meio da Lei da Informática na Amazônia (8.387/1991).

Além disso, há abordagens inovadoras voltadas a investigar os impactos das mudanças climáticas na saúde, em especial em comunidades remotas e vulneráveis, e na promoção do empreendedorismo em saúde, com incentivo à criação de startups e apoio a projetos que contribuam para o avanço da saúde.

Soluções inovadoras

“Temos como compromisso contribuir continuamente para ajudar a superar o desafio de ampliar o acesso à saúde de qualidade para uma parcela maior da população”, afirma Sidney Klajner, presidente do Einstein. “O Centro estará focado, entre outros projetos, em desenvolver soluções inovadoras que reduzam iniquidades”, diz.

Quarta unidade

Este será o quarto Centro de Inovação do Einstein no país, que já conta com estruturas em São Paulo e em Goiânia. A escolha de Manaus se deu por seu potencial de desenvolvimento tecnológico e de sua bioeconomia, que oferecem oportunidades únicas para inovações que promovam a intersecção entre a biodiversidade e a saúde humana.

“Ao estabelecer mais um centro, não apenas alavancamos a abrangência do nosso ecossistema de inovação, mas o conectamos com os potenciais desenvolvimentos ligados à biodiversidade local e à sua conservação”, diz Henrique Neves, diretor geral do Einstein.

Projetos vigentes

O Centro do Einstein em Manaus chega para desenvolver projetos que visam abordar os desafios enfrentados pela população regional, diz Rodrigo Demarch, diretor executivo de Inovação do Einstein.

Dentre as iniciativas, há um projeto de telemedicina voltado para a identificação precoce de casos de gravidez de risco; outra ação envolve a criação de um algoritmo de diagnóstico de leishmaniose.

Além dessas iniciativas, o Centro implementou um programa, com duração de 12 meses, que concederá 20 bolsas de incentivo para auxílio no desenvolvimento de ideias inovadoras, com o apoio do Grupo Bemol e da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

A proposta é impulsionar a pesquisa e a tecnologia na região. Nesse sentido, os bolsistas passarão por capacitações em diferentes temas, incluindo propriedade intelectual, biodesign, modelo de negócios.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *