Hoje é dia de celebrar Ogum e São Jorge

Sincretismo reuniu orixá e santo no mesmo dia

Entenda a história de cada um deles

Nesta terça-feira (23), católicos, umbandistas e candomblecistas de todo o mundo comemoram a data que, dependendo da corrente religiosa, é consagrada a São Jorge ou ao orixá Ogum.

Isso acontece porque, em função da perseguição às religiões de matriz africana no início da colonização do Brasil, forçou os praticantes ao “sincretismo religioso”, ou seja, eles associaram o orixá Ogum, a santos católicos como São Jorge, São Sebastião e, em alguns lugares, até Santo Antônio, assim como outras práticas precisaram ser adaptadas ao cristianismo.

Mas quem são eles? Entenda:

São Jorge

Jorge, cujo nome de origem grega significa “agricultor”, nasceu na Capadócia (Turquia), por volta do ano 280, em uma família cristã. Transferiu-se para a Palestina, onde se alistou no exército de Diocleciano. No ano de 303, quando o imperador emanou um édito para a perseguição dos cristãos, Jorge doou todos os seus bens aos pobres e, diante de Diocleciano, rasgou o documento e professou a sua fé em Cristo.

Por isso, sofreu terríveis torturas e, no fim, foi decapitado. Santificado pela Igreja Católica, São Jorge é visto hoje como o cavaleiro que venceu o mal, na forma de um dragão e é o defensor das injustiças.

Ogum

Divindade do panteão africano, as pessoas lembram de Ogum pela sua bravura e sua força. Seu nome em Ioruba significa guerra. É conhecido como orixá senhor das metalúrgicas, a quem tem domínio sobre as forjas. E o ferro é quem traz as ferramentas para que a humanidade possa evoluir. Aquele também que abre as estradas e os caminhos para que possamos passar.

Ogum representa a coragem, a guerra, a tecnologia, o trabalho árduo, o ferro, a caça e a agricultura.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *