Haddad diz que ZFM terá grande importância, mas escala economista contrário ao modelo

Futuro ministro da Fazenda diz que a prioridade é a reforma tributária

Senador Omar Aziz pediu garantias para a Zona Franca

Solange Elias
Para o ÚNICO

O futuro ministro da Fazenda do governo Lula, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira (14) que a reforma tributária é prioridade no governo eleito, mas se sabe que será uma construção política difícil. “Estava com Omar Aziz, na diplomação de Lula, me falou para esquecer reforma tributária”, contou.
Aziz é senador pelo PSD do Amazonas, onde se encontra a Zona Franca de Manaus (ZFM). “Eu disse que a Zona Franca não pode atrapalhar a reforma tributária”, comentou Haddad.
Segundo ele, a ZFM ganhará cada vez mais importância no novo contexto geopolítico. “O Brasil tem oportunidade de ouro nessa questão [atrair investimentos por meio da causa ambiental]”, disse ele.
O senador Omar Aziz falou com Haddad no dia da diplomação, na segunda-feira (12). “Ministro, a reforma tributária é importante, mas, antes, é preciso cuidar das leis complementares que garantem as vantagens da Zona Franca de Manaus”, disse ele, apontando que o governo Lula poderia primeiro criar mecanismos para proteger as leis que asseguram a existência da Zona Franca até 2073 e seus incentivos fiscais.

Contra o modelo

Nesta terça-feira (13), Fernando Haddad anunciou os nomes de 2 pessoas que vão integrar a equipe dele no governo Lula. O economista Gabriel Galípolo será o próximo secretário-executivo do Ministério e o economista Bernard Appy será secretário especial para a reforma tributária.
Appy é declaradamente adversário do modelo de incentivos fiscais e até já apresentou, em 2019, uma proposta de reforma tributária em que defendia o fim da Zona Franca. Ele aposta que criar um fundo de desenvolvimento regional para compensar a saída das indústrias do Estado é mais eficiente que incentivos fiscais.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *