Grupo de Lula sugere revogar decreto que facilitou garimpo na Amazônia

Técnicos vão indicar a criação do órgão Autoridade Climática

Marina Silva é o nome mais cotado para a pasta do Meio Ambiente

O grupo técnico da transição que trabalhou na elaboração do relatório para a área ambiental quer a revogação de um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que transformou as explorações de garimpo em “atividades artesanais”. O Estadão apurou que essas sugestões fazem parte do relatório técnico da área ambiental, documento que chegou a quase 300 páginas e que será entregue ao novo comando do Ministério do Meio Ambiente.
A expectativa é de que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva confirme o nome da deputada federal eleita Marina Silva (Rede-SP) para assumir a pasta.
As decisões caberão não apenas à pasta do Meio Ambiente, mas também ao Ministério de Minas e Energia, pois envolvem temas que abordam diretamente assuntos tratados por esta segunda pasta.

Autoridade Climática

A estrutura do novo Ministério do Meio Ambiente, cuja minuta vai trazer outro organograma, prioriza a ideia de que a Autoridade Climática, órgão a ser criado na gestão Lula, fique debaixo da estrutura do Meio Ambiente. O plano sempre foi defendido por Marina Silva, desde o início da elaboração do programa de governo. Confirmada à frente do ministério, Marina quer consolidar a estrutura com esse formato.

Com informações do Estadão


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *