Garantido e Caprichoso fazem acordo no Tribunal do Trabalho para pagar dívidas trabalhistas

Os Bumbás vão repassar anualmente 30% de verbas de patrocínio e bilheteria até quitar todos os processos em execução

As ações trabalhistas tramitam há pelo menos 10 anos na Justiça do Trabalho

Um acordo histórico homologado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (AM/RR) definiu o pagamento parcelado das dívidas trabalhistas dos Bois Garantido e Caprichoso. Após muito diálogo na audiência que durou mais de quatro horas, as partes chegaram a um acordo, assegurando o pagamento aos trabalhadores titulares de processos que tramitam há pelo menos dez anos.

Termos do acordo

Após longos debates e várias propostas e contrapropostas, houve conciliação entre as partes. O primeiro ponto do acordo foi a liberação de valores depositados em um processo do Boi Garantido no total de R$ 1,3 milhão para pagamento dos créditos trabalhistas pendentes.

Repasses

Em outro compromisso assumido na conciliação, ambos os bumbás assim como as empresas envolvidas se comprometeram a repassar anualmente, para uma conta judicial destinada ao pagamento dos trabalhadores, de 30% da receita proveniente das vendas da bilheteria do festival e também 30% da receita não incentivada recebida de uma patrocinadora. Esse percentual alcança o montante aproximado de mais de R$ 4 milhões. O pagamento anual será realizado até a quitação de todo o passivo de processos em execução transitados em julgado (sem possibilidade de recurso) até a data da celebração do acordo.

Audiência híbrida

Com a presença do presidente do TRT-11, desembargador Audaliphal Hildebrando da Silva, a audiência foi conduzida em Manaus pela coordenadora e supervisora do Cejusc-JT 2º Grau, desembargadora Ruth Barbosa Sampaio. Representaram o MPT, a procuradora-chefe Alzira Melo Costa, o procurador regional Jorsinei Dourado do Nascimento e a procuradora Gabriela Menezes Zacareli. O Estado do Amazonas foi representado pelo procurador Isaltino José Barbosa Neto e o Município de Parintins pelo procurador-geral Rondinelle Farias Viana. O advogado da União, François da Silva, também participou. Os presidentes do Garantido, Antônio Andrade, e do Caprichoso, Jender de Melo Lobato, participaram por videoconferência. Em Parintins (AM), participaram presencialmente o juiz substituto André Luiz Marques Cunha Junior, que está no exercício da titularidade da Vara do Trabalho sediada naquele município, e os reclamantes acompanhados de seus advogados.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *