Fiscalização interdita balsas com várias irregularidades, em Manaus

Falta de documentos e transporte de combustíveis sem autorização foram identificados

Um porto privado foi autuado pela Agência de Petróleo

Valéria Costa
Correspondente

Brasília (ÚNICO) – Uma força-tarefa formada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM), Polícia Ambiental Fluvial, Polícia Civil Fluvial, Marinha e Agência Nacional de Petróleo para averiguar o transporte aquaviário de combustíveis resultou na interdição de seis balsas-tanque com documentação vencida e por falta de autorização do operador para o transporte de combustíveis.
Durante a ação conjunta, foram fiscalizados postos flutuantes de combustíveis e de GLP (os chamados pontões), embarcações de empresas transportadoras de petróleo e derivados e portos privados.
Além de interditar as seis balsas, a ANP apreendeu 70 mil litros de diesel marítimo e 40 mil litros de gasolina comum. Segundo o relatório, as balsas sequer atendiam às condições de segurança necessárias para transporte de combustíveis, arriscando a vida da tripulação.

Porto privado

Um porto privado também foi autuado pela ANP por permitir operações de carga e descarga de combustíveis e operações de transbordo sem autorização da Agência. Outra balsa que servia de área de armazenamento de GLP foi autuada e interditada por não atender aos requisitos mínimos de segurança e por estar ancorada em local diverso do autorizado.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *