Filme de Silvino Santos desaparecido há 100 anos é encontrado em Praga

Cineasta gravou no Amazonas a maioria dos seus filmes

O longa vai ser exibido em um festival mundial de cinema, na Itália

Alessandra Luppo
Da redação do ÚNICO

O jornal Folha de S.Paulo informa nesta segunda-feira (9) que o filme “Amazonas, Maior Rio do Mundo”, que estava desaparecido há quase 100 anos, foi encontrado novamente, na cidade de Praga, capital da República Tcheca. O filme é do diretor português radicado no Amazonas, Silvino Santos, e foi gravada em 1918.

Roubo e desaparecimento

A história do desaparecimento de “Amazonas, Maior Rio do Mundo” foi contada por Santos numa autobiografia nunca publicada, escrita pouco antes de ele morrer, em 1969. O cineasta diz que o filme foi roubado por um parceiro dele, Propércio de Mello Saraiva, que negociava a venda internacional do produto. Saraiva rebatizou o filme, disse que era o diretor e vendeu o longa a uma distribuidora que o exibiu no Reino Unido e em outros países da Europa. Mas, diz o Guardian, nos anos 1930 já não havia mais vestígios do trabalho.

Mas, uma cópia do negativo do filme sobreviveu ao tempo no arquivo Národní Filmový, em Praga, onde foi catalogado de maneira errada —como uma produção dos Estados Unidos de cerca de 1925. Sua identidade verdadeira só foi revelada depois que o curador Jay Weissberg, do festival italiano onde o longa vai estrear, teve acesso a uma cópia.

A obra

Considerado o primeiro longa-metragem filmado na Amazônia, o filme contém imagens raras da floresta amazônica e dos povos que a habitavam —incluindo algumas das primeiras imagens em movimento conhecidas dos povos indígenas witoto. Há também cenas que mostram a extração de borracha e madeira.

O autor

Português, Silvino Santos passou a maior parte de sua vida na Amazônia e era considerado um dos grandes cineastas de não ficção do Brasil no começo do século. Seu filme mais conhecido é o documentário “No País das Amazonas”, de 1922, uma tentativa de refazer o longa de quatro anos que tinha sido roubado. Ele morreu em 1969, em Manaus.

Reestreia

O filme “Amazonas, Maior Rio do Mundo” vai ter sua reestreia mundial nesta terça-feira (10), no Festival de Cinema Mudo de Pordenone, na Itália. O filme deve ser exibido no Brasil nos próximos meses.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *